quinta-feira, 29 de outubro de 2009

HALLOWEEN - O PERIGO BATE À PORTA

O que está por trás da “festa” do dia 31 de outubro que tem dominado nossas escolas, clubes e associações e confundido nossos filhos? Há realmente o que comemorar?

A festa de halloween é originária das festas de outono dos celtas (povos que habitaram há séculos atrás territórios que hoje pertencem à Grã Bretanha e o norte da França). Os celtas criam que o ano novo deveria ser comemorado na última noite de outubro, pois o véu entre o nosso mundo e o mundo dos mortos se tornava mais frágil, sendo a noite ideal para se comunicar com os que já partiram.

Nesta ocasião, se os vivos não providenciassem comida para os espíritos, estariam suscetíveis a coisas terríveis. Um misto de superstição e ocultismo rondava as celebrações do halloween. Eram acesas fogueiras enormes para agradar o deus sol, as pessoas vestiam-se com roupas negras e usavam máscaras para não serem reconhecidas pelos espíritos dos mortos. O halloween está associado a rituais pagãos reminiscentes da magia negra dos druidas (bruxos celtas).

Com o passar do tempo, a Igreja Católica Romana, após uma intensa e longa perseguição às bruxas nos séculos XV, XVI e XVII, incorporou ao grande festival celta o dia 1º de novembro como o Dia de Todos os Santos, celebrando missas em homenagem aos santos e santas que já haviam deixado a vida. Mais interessante, é que aquilo que era proibido passou a ser aculturado e tornou-se dia santo para se cultuar os mortos, o famoso dia dos Finados.

A origem do halloween está intimamente ligada à comunicação com os mortos, e tem herança pagã arraigada na bruxaria e sua ênfase está sobre as trevas e o diabo. A pessoa que até mesmo por brincadeira se entrega a esses contatos, deve conscientizar-se de que esses agentes não são os espíritos dos mortos, pois os mortos não estão à disposição dos vivos. Leia Hebreus 9.27 e Isaías 8.19-20 e veja que Deus diz sobre a consulta aos espíritos. A festa de halloween é contrária às Escrituras.

A Revista “Defesa da Fé” alerta: “Os pais devem atentar para o perigo desta festa comemorada nas escolas e, principalmente, em bailes noturnos, nos quais se pede que seus participantes se apresentem vestidos como bruxo, vampiro, Frankstein, zumbi, sacerdote de magia negra etc. Essa é uma forma de colocarmos nossas crianças, jovens e adultos em contato com o ocultismo.”

Entretanto, os cristãos não têm porque temer o Halloween. Primeiro, porque o dia 31/10 é mais um “dia que o Senhor fez; alegremo-nos e regozijemo-nos nele” (Sl118.24); segundo, porque Cristo já “despojou os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na cruz” (Cl 2.15); e terceiro, porque somos “Os (verdadeiros) Intocáveis”: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus (...) o Maligno não lhe toca.” (1Jo5.18)

Ao Único, Soberano, Glorioso e Eterno Pai das Luzes seja a glória todos os dias de eternidade em eternidade.

2 comentários:

rcipra disse...

É como diz um amigo meu: "raloim, só se for com carne seca!".

WALMIR disse...

Pastor, parabéns pelo artigo. Que o nosso DEUS continue dando-lhe sabedoria. Obrigado por esta atento às armadilhas. Em Cristo, Walmir (IBM).

Leia as Atualizações no seu Reader

Pra Cumprir Teu Chamado

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails