sexta-feira, 28 de agosto de 2009

VOCÊ ORA POR SEU PASTOR?

Por Renato Vargens

Algumas pessoas pensam que exercer o ministério pastoral é fácil. Talvez elas não entendam a complexidade do cumprimento de tão árdua tarefa. Na verdade, muitos não sabem a responsabilidade e a pressão que o ministério exerce na vida do pastor. Para piorar a situação, a Igreja do Senhor não trata de seus pastores como devia. Infelizmente conheço inúmeros casos de pastores marcados por igrejas intransigentes, que exigem de seus líderes atitudes sobre-humanas, levando-os a exaustão espiritual.

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos afirma que cerca de 90% dos pastores estão trabalhando entre 55 a 75 horas por semana. O percentual de esgotamento está no máximo, com somente 50% dos pastores cumprindo seus anos de trabalho como pastor. A pesquisa também afirma que mais de 50% dos graduados nos seminários deixam o ministério depois de 5 anos. Mais de 1200 pastores a cada mês deixam o ministério devido a tensão ou situações relacionadas com a igreja, assuntos familiares ou falha moral.

O divórcio entre os ministros subiu em mais de 65% nos últimos 20 anos. Cerca de 94% dos ministros sentem a pressão de ter que ter uma “família perfeita”. Pesquisas revelam que 71% dos pastores dizem que estão tendo problemas financeiros. Cerca de 67% das esposas de pastores dizem que não estão satisfeitas com seu matrimônio e 33% dos casamentos pastorais sofrem de tensões causadas pela quantidade de trabalho.

Mais de 90% dos pastores levam para casa “bagagem mental e emocional do trabalho ministerial. Dados confirmam que 75% dos pastores dedicam menos de uma noite por semana a seu cônjuge e amizades. Cerca de 80% dos pastores crêem que o ministério afetou suas famílias de uma maneira negativa. 70% dizem que não têm alguém que consideram como amigo mais chegado e 97% dizem que não foram preparados adequadamente para enfrentar assuntos que encontram na igreja. Com uma realidade como esta, mais do que nunca, precisamos orar pelos nossos pastores.

E você? De que forma tem lidado com seu pastor? Em suas orações você tem lembrado dele? E se você fosse pastor? Gostaria de ter uma ovelha como você?
Pense nisso!

Fonte: http://www.renatovargens.com.br

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Num Piscar de Olhos

Num mundo em rápida transformação (às vezes, "transtornação"), utilizar recursos que comuniquem a mensagem do Evangelho de maneira clara, objetiva e atraente será o maior desafio dos pregadores cristãos no século XXI.

Há pouco conheci essa Companhia de Teatro "OneTimeBlind" que desenvolve um ministério muito bacana. Eles comunicam as verdades profundas da vida cristã e seus desafios cotidianos de uma maneira muito criativa, bem-humorada e séria ao mesmo tempo.

Aqui vai mais um vídeo deles:


Se quiser mais informações, visite a página deles na Internet:

Você tem encontra um canal deles no YouTube.

Fica a dica!

Como assim, perdoar?

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Liga da Justiça à moda Bin Laden

UM NOVO MODELO

Primeiro grupo de super-heróis muçulmano, o 99, chega a televisão britânica

Publicada em 20/08/2009 às 12h02m - O Globo

RIO - O primeiro desenho animado de super-heróis muçulmanos, batizado de 99 por cada um de seus heróis possuir um dos 99 atributos de Alá, tem no elenco de personagens uma mulher vestida com a burca, Batina a Escondida, e um homem saudita estilo Hulk, Jabbar o Poderoso. Um sucesso do Marrocos à Indonésia, e recentemente considerados pela revista Forbes uma das 20 tendências dominando o mundo, os super-heróis do mundo árabe agora se preparam para invadir as telas britânicas, informa o "Telegraph".

Num mercado dominado até o momento por super-heróis como o Batman, Homem Aranha e Super Homem, que limitam sua luta contra o crime à América e ao mundo Ocidental, o 99 foi criado com o objetivo de introduzir os valores islâmicos em crianças de todas as crenças.

A mente por trás do sucesso chama-se doutor Naif al-Mutawa, um psicólogo do Kuwait que acreditava que os pequenos muçulmanos precisavam de um novo conjunto de super-heróis em quem se inspirar em oposição aos modelos jihadistas.

- Ocorreu-me que as histórias que eu vinha ouvindo eram de homens que cresceram acreditando que seu líder, Saddam, era um herói, um modelo a ser seguido, para um
dia ser torturado por ele - disse ele ao The Times - Decidi que o mundo árabe precisava de modelos melhores. E espera que sua criação consiga um apelo universal.

- É baseado em atributos como a generosidade e a misericórdia. E isso não são coisas sobre as quais o Islã tem um monopólio.

Apesar de o desenho ter sido batizado de 99, nunca haverá, no entanto, um elenco com 99 super-heróis, por ser proibido representar todos os 99 atributos de Alá.

==========
Obrigado, amigo Renato Coelho, pela indicação.

Dez coisas que levamos anos para aprender

Atribuído a Luis Fernando Veríssimo*

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom ou empregado, não pode ser uma boa pessoa. (Esta é muito importante. Preste atenção, nunca falha)**

2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas. (Tá cheio de gente querendo te converter!)

3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance. (Na maioria das vezes quem tá te olhando também não sabe! Tá valendo!)

4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca. (Deus deu 24 horas em cada dia para cada um cuidar da sua vida e tem gente que insiste em fazer hora-extra!)

5. Não confunda sua carreira com sua vida. (Aprenda a fazer escolhas!)

6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite. (Quem escreveu deve ter conhecimento de causa!)

7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria 'reuniões'. (Onde ninguém se entende... Com exceção das reuniões que acontecem nos botecos...)

8. Há uma linha muito tênue entre 'hobby' e 'doença mental'. (Ouvir música é hobby... No volume máximo as sete da manhã pode ser doença mental!)

9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito. (Que bom!!!!!)

10. Lembre-se: nem sempre os profissionais são os melhores. Um amador construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic. (É Verdade mesmo!!!)

* Porém, como nem que a gente vê na Internet é verdade, tenho minhas dúvidas... :-)
** Os comentários são de origem desconhecida. E de índole também... ;-)

O Que Darwin Não Podia Saber

Para celebrar o “ano de Darwin” em 2009, a revista alemã Die Zeit publicou um artigo de duas páginas com a manchete “Muito obrigado, Darwin!”, acompanhado de quatro páginas falando sobre evolução. Esse agradecimento foi para um homem que nasceu há 200 anos. Seu “revolucionário” livro A Origem das Espécies foi publicado há 150 anos. [Naquela época, nada se sabia sobre o DNA, o armazenamento de informações genéticas e sua transmissão].

O filósofo Immanuel Kant (1724-1804) já afirmava, cheio de orgulho: “Dêem-me matéria, e dela farei um mundo”. Cinqüenta anos mais tarde, o matemático e astrônomo francês Laplace (1749-1827) vangloriava-se diante de Napoleão: “Minhas teorias não precisam da hipótese chamada ‘Deus’.” Esses e outros pais do ateísmo científico buscavam uma explicação para a origem da vida em que Deus pudesse ser descartado. A resposta aparentemente salvadora veio de Darwin, que tornou viável explicar a origem da vida “de forma natural”. Enquanto ele próprio ainda era reticente em relação às implicações de sua teoria, hoje o mundo, cada vez mais ímpio, aclama seu patrono em manchetes sem fim.

Até a viagem de Darwin às ilhas Galápagos em 1835, acreditava-se no filósofo grego Aristóteles, que dizia que as espécies são imutáveis. A partir das diferentes formas de bicos de tentilhões que viviam na ilha, Darwin concluiu com acerto: espécies podem se adaptar e se modificar. Mas sua conclusão seguinte, de que toda a vida viria de uma árvore genealógica comum, não é cientificamente defensável. O próprio Darwin percebeu que uma grande fraqueza de sua teoria era a inexistência, na natureza, de fósseis de formas intermediárias. Mesmo assim, seguindo a doutrina darwinista, o homem perdeu sua posição especial atribuída pelo Criador e passou a ser apenas um ser mais evoluído no reino animal.

As molas-mestras da evolução

Como molas-mestras da evolução são mencionadas hoje: mutações, seleção, isolamento, longas eras, acaso, necessidade e morte. Todos esses fatores existem; porém, nenhum deles é fonte de novas informações criadoras.

Mutações apenas podem modificar informações herdadas pré-existentes. Entretanto, sem as informações do DNA já disponíveis, a evolução nem pode dar a largada inicial. Mutação é, por definição, um mecanismo aleatório sem qualquer objetivo definido, de tal forma que, por princípio, não pode fazer surgir novos conceitos (por exemplo, criar órgãos).

• A seleção favorece os seres vivos mais aptos e faz com que sua predisposição hereditária seja passada adiante. Mas, através da seleção ocorre apenas uma escolha ou um aniquilamento de algo que já existe; nada pode ser melhorado por ela, nem ela faz surgir algo novo.

• Os outros fatores evolutivos citados também não podem ser considerados fontes criadoras.

Vejamos alguns poucos exemplos de seres vivos e examinemos se os fatores evolutivos em ação aleatória poderiam tê-los trazido à existência.

A reprodução sexuada

Conforme a teoria da evolução, a “descoberta” da reprodução sexuada seria uma condição decisiva para o desenvolvimento progressivo dos seres vivos. Através de combinações genéticas sempre novas, surgem muitas variedades, das quais as mais adaptadas ao seu ambiente sobrevivem ao processo de seleção. Duas razões, porém, eliminam esse processo na almejada tendência ascendente no desenvolvimento de uma linhagem:

1. A reprodução sexuada nem pode começar por um processo evolutivo. Ela apenas seria possível se ambos os sexos dispusessem simultaneamente de órgãos prontos e plenamente funcionais. Entretanto, na evolução, por definição, não existem estratégias planejadas ou direcionadas. Como o desenvolvimento dos órgãos necessários à reprodução poderia estender-se por milhares de gerações se os seres vivos nem conseguem se reproduzir sem esses órgãos? Mas, se um desenvolvimento lento precisa ser excluído por ser inviável, como seria possível que órgãos tão diferentes e tão complexos, que precisam combinar entre si até nos mínimos detalhes, surgissem repentinamente? Além disso, eles precisariam estar presentes juntos no mesmo lugar no momento da reprodução.

2. Ainda que admitíssemos a possibilidade da reprodução sexuada ter “caído do céu”, mesmo assim não surgiria nova informação na mistura da carga genética. Em suas muitas experiências, criadores de plantas e animais demonstraram que vacas altamente aperfeiçoadas geneticamente continuaram sendo vacas, e que o trigo jamais produziu girassóis. A chamada microevolução (mutação dentro de uma espécie) é verificável cientificamente; de uma macroevolução (mutação que ultrapasse as fronteiras das espécies) falta toda e qualquer prova.

Técnica genial nos glóbulos vermelhos

Em cada gota de sangue temos aproximadamente 5 milhões de glóbulos vermelhos. Eles são como mini-submarinos altamente especializados que, ao invés de levarem a bordo torpedos mortais, realizam algo extremamente vital.

• 175.000 vezes durante seus 120 dias de vida eles são abastecidos com oxigênio, enquanto descarregam no pulmão o gás carbônico (CO2), resíduo que se forma pelo processo de oxidação.

• Esses minúsculos navios cargueiros são tão pequenos que conseguem ultrapassar os mais finos vasos capilares, chegando a todas as partes do corpo.

• A cada segundo são gerados dois milhões de novos glóbulos vermelhos, que contêm a hemoglobina (que dá a cor vermelha ao sangue), uma composição química muito notável e complexa.

A hemoglobina é necessária para o transporte de oxigênio já na fase de desenvolvimento embrional. Evidentemente, até o terceiro mês as necessidades de oxigênio são diferentes do que no estágio fetal (a partir do terceiro mês), e por isso faz-se necessário um tipo distinto de hemoglobina, de composição química diferente. Pouco antes do parto, as fábricas celulares voltam a funcionar a todo vapor para realizar a alteração para hemoglobina adulta. Os três tipos de hemoglobina não poderiam ser descobertos pelo caminho evolutivo, através da experimentação, porque as outras variantes não transportariam oxigênio suficiente, o que seria fatal para o ser vivo supostamente em evolução. Mesmo que em dois estágios fosse produzida a molécula correta, isso significaria a morte certa se a molécula da terceira fase não estivesse disponível. Por três vezes a produção de hemoglobina necessita de um biomecanismo completamente diferente, que também precisa modificar completamente sua produção no momento exato.

De onde vem um mecanismo tão complicado? Aqui toda e qualquer idéia de evolução falha completamente, pois em seus estágios semi-prontos, que segundo a evolução teriam conduzido a esse mecanismo tão complexo, esses seres vivos nem poderiam ter sobrevivido.

Esse conceito de complexidade não-redutível também é válido para o sistema imunológico do organismo humano ou para o flagelo com que as bactérias se locomovem. Mais uma vez, vemos que os seres vivos não teriam sobrevivido em sua “jornada” até seu estágio atual se este fosse atingido por processos evolutivos. É mais razoável admitir que tudo esteve pronto desde o princípio, o que somente é possível se um Criador planejou e criou tudo funcionando plenamente desde seu começo.

O vôo da Tarambola-Dourada

A Tarambola-Dourada é um pássaro maravilhoso que nasce no Alasca. Como ali o inverno é extremamente frio, ele migra para o Havaí. Sua viagem é muito longa, pois o destino fica a 4.500 quilômetros de distância. O vôo tem de ser direto, sem escalas, uma vez que no caminho não existem ilhas para descanso, e essa ave não sabe nadar. Para seu vôo, a Tarambola-Dourada precisa de um tanque cheio de combustível na forma de 70 gramas de gordura armazenada em seu corpo. Desse total, 6,8 gramas são uma reserva para enfrentar ventos contrários. Como o pássaro tem de voar ininterruptamente por três dias e meio, noite e dia, sem parar, e precisa manter a rota com exatidão dentro das coordenadas geográficas, ele necessita de um piloto automático trabalhando com extrema exatidão. Se não encontrar as ilhas do Havaí, sua morte é certa, pois não existe qualquer outra alternativa de pouso. Se não possuísse essa porção de gordura precisamente calculada, não sobreviveria.

A mutação e a seleção, nesse caso, mais uma vez são construtores incapazes. Mais plausível é admitir que a Tarambola-Dourada foi criada assim desde o começo – pronta e equipada com tudo o que precisa.

O raciocínio evolucionista é útil?

Como vimos nos exemplos desses seres vivos, em outras áreas também encontramos projetos altamente especializados:

A baleia cachalote é um mamífero que está equipado de tal forma que pode emergir de 3.000 metros de profundidade sem morrer pela temida descompressão.

• Uma quantidade imensa de bactérias microscópicas em nosso trato intestinal tem motores elétricos embutidos, que podem funcionar para a frente e de marcha a ré.

• A sobrevivência dos seres vivos depende do funcionamento perfeito de cada um de seus órgãos (por exemplo, coração, fígado, rins).

Órgãos semi-prontos, em desenvolvimento, não têm valor algum. Nesse assunto, quem pensa segundo o darwinismo deveria saber que a evolução desconhece a perspectiva de um órgão que passará a funcionar perfeitamente no futuro. O biólogo evolucionista alemão G. Osche observou acertadamente: “Seres vivos não podem, durante certas fases evolutivas, parar tudo como um empresário que fecha a firma temporariamente por causa de reformas”.

A inteligência e a sabedoria expressas nas obras da Criação são simplesmente imponentes. O caminho que conduz das obras criadas até um autor criativo é mais que evidente – das obras deduz-se a existência de um Criador. Combina muito bem com nossa observação o que a Bíblia já diz em seu primeiro versículo: “No princípio, criou Deus!”

Influenciada pelo darwinismo, estabeleceu-se a teologia histórico-crítica, que rejeitou o relato literal da Criação, até então considerado mensagem de Deus. Mas fazemos bem “acreditando em todas as coisas que estejam escritas” (Atos 24.14), pois “Deus não é homem, para que minta” (Números 23.19).

De onde vem a informação?

Na discussão científica, o argumento sempre é mais forte quando se pode aplicar as leis naturais a algum processo ou fenômeno. As leis naturais não admitem exceção. Conforme essas leis, por exemplo, o moto-contínuo, uma máquina que funciona continuamente sem receber energia, é uma máquina impossível.

Hoje sabemos o que Darwin ainda não podia saber: nas células de todos os seres vivos existe uma quantidade praticamente inimaginável de informação, aglutinada na forma mais compacta que se conhece. A formação de todos os órgãos é conduzida pela informação, todos os processos nos seres vivos funcionam dirigidos por informação e a produção de todas as substâncias do corpo (por exemplo, 50.000 proteínas no corpo humano) é controlada pela informação. O sistema da evolução somente poderia funcionar se houvesse na matéria a possibilidade de a informação surgir por acaso. A informação é absolutamente imprescindível, pois os projetos de todos os indivíduos e todos os processos complexos nas células ocorrem baseados em informação.

Informação é uma grandeza imaterial; portanto, não é uma qualidade da matéria. As leis da natureza acerca de grandezas não-materiais, especialmente da informação, dizem que a matéria jamais pode gerar uma grandeza não-material. É evidente: informação somente pode surgir a partir de um emissor dotado de inteligência e vontade. Assim está claro: quem considera a evolução possível, acredita no “moto-contínuo” da informação, ou seja, em algo que as leis gerais da natureza mostram ser completamente impossível. Assim, acertamos o calcanhar de Aquiles da evolução, que cientificamente chega a seu FIM. [Expliquei a questão com mais detalhes em meu DVD A Origem da Vida à Luz da Informação].

De onde vem a vida?

Diante de todo o barulho que se faz atualmente em torno da evolução, perguntamos: “De onde vem a vida realmente?” A evolução não tem a menor explicação para o surgimento da vida a partir da matéria morta.

Stanley Miller (1930-2007), cuja experiência com a “sopa pré-biótica” (1953) é mencionada em todo livro de Biologia, admitiu depois de 40 anos que nenhuma das atuais hipóteses sobre a origem da vida consegue ser convincente. Ele classificou todas elas de “bobagens”, de “gestações mentais químicas”. O microbiologista Louis Pasteur (l822-1895) reconheceu algo fundamental: “Vida só pode vir de vida”.

Apenas um pôde dizer: “Eu sou a vida” (João 14.6), e esse alguém foi Jesus Cristo. A Seu respeito está escrito em Colossenses 1.16: “Pois nele foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis”. Em João 1.3 lemos: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez”. Qualquer teoria sobre o início da vida e o surgimento do mundo que não mencione Jesus como a origem e a fonte da vida é uma concepção morta, que inevitavelmente se esfacela na Rocha que é Jesus.

Assim, a teoria da evolução passa a ser um dos maiores enganos da história mundial e lança milhões de pessoas no abismo da incredulidade. Infelizmente, o que muitos dos nossos contemporâneos não levam em consideração é que ao abismo da descrença segue o abismo da perdição eterna depois da morte (inferno). O dilema real na maneira de pensar de nosso mundo é que o verdadeiro Criador de todas as coisas não é honrado com manchetes, dizendo: Muito obrigado, Jesus!

Muitos não sabem que Jesus Cristo nos fez uma oferta grandiosa. Ele disse: “Eu sou a Porta” (João 10.9). Ele estava se referindo à porta do céu. Quem se volta para Jesus tem a vida eterna.

Fonte: www.chamada.com.br

Você é Como Eu que Gosta de Acelerar?

Então assista o vídeo a seguir. Estou pensando sobre o assunto... rsrsrs

Brincadeiras à parte, o assunto é sério e precisa da minha (nossa) atenção.

video

"Invocatio Dei" e Constituição Europeia

Obrigado, L. R. Silvado, pelo envio do texto.

===================

J. H. H. Weiler*

Nos círculos liberais progressistas a ideia de que o Preâmbulo da Constituição da Europa inclua uma referência a Deus e/ou às *Raízes Cristãs* da Europa foi encarada com escárnio e mesmo com desprezo. Tal inclusão, diz-se frequentemente, iria entrar em conflito com uma tradição constitucional europeia de neutralidade do Estado em matéria de religião; iria também colidir contra o compromisso político europeu de uma sociedade tolerante e multicultural. O contrário é verdadeiro: uma referência a Deus é não só constitucionalmente imperativa como politicamente indispensável.

A Europa apresenta, constitucionalmente, uma riqueza característica. Como exemplo de lei constitucional positiva, temos o caso de todos os membros da UE, sob a tutela da Convenção Europeia dos Direitos Humanos, estarem obrigados ao princípio do *Estado Agnóstico ou Imparcial* que garante tanto a liberdade de religião como a liberdade da religião. Há aqui uma medida notável de homogeneidade - mesmo que em alguns assuntos ambíguos, como os véus ou os crucifixos nas escolas, os vários Estados membros avaliem de forma diferente a linha delicada entre a liberdade religiosa e a liberdade da religião.

Mas quando se trata de simbolismo e iconografia constitucional a Europa é notavelmente heterogénea: num extremo encontramos países como a França, cuja própria Constituição define o Estado como secular (laico). No outro extremo temos países como a Dinamarca e o RU, onde existe uma religião estatal estabelecida. No RU, a Rainha é não só chefe de Estado como também chefe da Igreja. No meio, temos países como a Alemanha, cujo preâmbulo constitucional faz uma referência explícita a Deus, ou a Irlanda, cujo preâmbulo se refere à Santíssima Trindade e muitas outras variantes. No total, cerca de metade da população da União Europeia vive em Estados cujas constituições fazem uma referência explícita a Deus e/ou à Cristandade. O que é notável acerca da Europa - um valor a ser preservado - é que mesmo nesses Estados os princípios de liberdade de religião e de liberdade da religião são inteiramente respeitados. Ninguém pode argumentar com credibilidade que, digamos a Dinamarca, está menos empenhada na democracia liberal ou que é um Estado menos tolerante do que, digamos, a França ou a Itália, apesar do facto de a Dinamarca reconhecer uma Igreja Oficial do Estado e a França e a Itália serem confessadamente seculares.

Nos seus itens legais positivos, a Constituição europeia reflecte a homogeneidade da tradição constitucional europeia: está completamente empenhada nas noções de liberdade de religião e liberdade da religião. No que se refere ao seu Preâmbulo a Constituição da Europa deve reflectir a heterogeneidade europeia.

Deve reflectir o compromisso europeu para com a nobre herança da Revolução Francesa, como está reflectida, digamos, na Constituição francesa, mas deve reflectir em igual medida o simbolismo das constituições que incluem um invocatio dei. A recusa de fazer uma referência a Deus está baseada no falso argumento que confunde o secularismo com a neutralidade ou a imparcialidade. O preâmbulo tem uma escolha binária: sim a Deus, não a Deus. Porque é que excluir uma referência a Deus é mais neutral do que incluir Deus? É favorecer um ponto de vista, o secularismo, em vez de outro, a religiosidade, mascarando esse favorecimento de neutralidade. Então, como é que se pode respeitar ambas as tradições? A nova Constituição polaca dá uma resposta elegante: reconhece as duas tradições: *Nós, a Nação Polaca - todos os cidadãos da República, tanto os que acreditam em Deus como fonte da verdade, da justiça, do bem e da beleza, como aqueles que não partilham de tal fé mas que respeitam esses valores universais como tendo origem noutras fontes, iguais em direitos e obrigações em favor do bem comum...* Uma solução semelhante pode ser encontrada para a Constituição europeia.

A Europa não pode pregar o pluralismo cultural e praticar o imperialismo constitucional.

O imperativo político é tão grande como o constitucional. A Europa está comprometida com a democracia - em todo o mundo. Mas no modo de pensar europeu, a democracia deve ser difundida pacificamente, pela persuasão, não pela força das armas. Um dos grandes obstáculos para a disseminação da democracia é a opinião largamente difundida de que a religião e a democracia são inimigas uma da outra. De que adoptar a democracia significa banir Deus e a religião do espaço público e torná-los num assunto privado. É, sem dúvida, essa a mensagem que o modelo franco-americano (estranhos companheiros de cama) de democracia constitucional envia para o mundo. Isto pode ter sido verdade a respeito da relação entre a Igreja e o Estado no tempo das revoluções Francesa e Americana. Mas será essa a mensagem que a Europa deseja enviar para o mundo de hoje? Deverá a Constituição europeia proclamar que Deus deve ser expulso do espaço público? Durante quanto tempo temos de ficar prisioneiros dessa experiência histórica? O Estado mudou, a Igreja mudou ainda mais.

Nesta área, como em muitas outras, a Europa pode liderar pelo exemplo e oferecer uma alternativa ao sJustificareparatismo constitucional americano (e francês). Pode ser a ilustração viva de que a religião já não tem medo da democracia e de que a democracia já não tem medo da religião. Esse verdadeiro pluralismo é o que pode, por um lado, garantir efectivamente tanto a liberdade religiosa e a liberdade da religião como também, sem medo, reconhecer e reflectir, até na Constituição, a fé viva de muitos dos seus cidadãos. Apenas este modelo tem alguma hipótese de persuadir todas essas sociedades que ainda vêem a democracia com suspeita e hostilidade.

*Professor da Universidade de N. York, especialista em União Européia

SAGRADA LAICIDADE

Várias questões têm vindo à tona para testar o quanto o Estado brasileiro é realmente laico.

Roberto Livianu*

Por que será que certas forças conservadoras têm defendido com tanta veemência a manutenção de símbolos de uma única religião em prédios públicos? Por que negar a norma constitucional que determina a separação entre Estado e religiões no Brasil? A quem interessa esse retrocesso? No ano que vem, o decreto 119-A completa 120 anos de vida. Ele significou um marco histórico, a partir do qual o Brasil optou pelo Estado laico.

E determinou pela primeira vez a separação entre Estado e religiões. Por força dessa norma, cemitérios passaram a ser administrados pelo Estado e instituiu-se a figura do casamento civil. Isso aconteceu em um contexto de transformações sociais e políticas trazidas pelo novo Estado republicano – que, aliás, no ano seguinte ao decreto, adotaria a laicidade na própria Constituição Federal.

A partir daí, várias questões têm vindo à tona para testar o quanto o Estado brasileiro é realmente laico. E para medir qual a magnitude da separação entre Estado e religiões no país. Na verdade, desde a reforma protestante, no século 16, Martinho Lutero alertou sobre os problemas relacionados à adoção do direito canônico como instrumento regulador da sociedade. Preocupava-se com a necessidade de ter leis laicas.

Porque as leis canônicas se lastreiam em dogmas, verdades históricas absolutas e inquestionáveis. E a comunidade precisa de regras baseadas na racionalidade e mutáveis, porque o comportamento humano é dinâmico e, por isso, mutável.

Antes dessa separação, também os conceitos de crime e pecado se confundiam. As penas criminais eram, na verdade, castigos a serem impostos àqueles que violavam interesses da igreja ou do Estado, principalmente. E a pena principal era a de morte.

As ideias do modernismo determinaram profunda revisão de conceitos, colocando a dignidade humana como foco de preocupação dos povos. Apesar disso, no Brasil, setores conservadores, avessos ao respeito à Constituição, dizem que a maioria do povo é católica e que isso deve determinar um tratamento privilegiado para a Igreja Católica.

Chegam a propor, ainda que veladamente, na forma de acordo internacional, a violação do artigo 19 da Carta ao pretender uma reformulação do regime jurídico da relação Estado-religiões.

Isso é negar a essência da democracia. Porque, no sistema democrático, a voz da maioria prepondera na escolha do governante. Mas o eleito, passadas as eleições, deve governar para todos, incluídas as minorias, e não apenas para a maioria que o escolheu.

Essa concepção, que parece óbvia, é realidade concreta na França desde a revolução de 1789, tendo sido banidos de prédios públicos os símbolos religiosos. Da Justiça, das escolas, de todos. Também já se enterrou lá a ideia do ensino religioso em escolas.

E não é só na França. O mundo ocidental como um todo caminhou nessa direção. E até mesmo em países monarquistas, como Inglaterra e Dinamarca, a manutenção de uma religião oficial não impediu a existência de ordenamento jurídico laico. Lá se respeitam na plenitude as liberdades públicas e os direitos civis dos cidadãos, sendo autorizado o casamento homossexual na Inglaterra e o aborto na Dinamarca, entre outros direitos.

É triste constatar que, aqui no Brasil, quase 120 anos depois da opção pela república laica, deparamo-nos diariamente com incontáveis desrespeitos à cidadania. Que a neutralidade religiosa, que deveria ser a tônica das ações dos nossos agentes políticos, ainda seja meta distante de ser alcançada.

Precisamos reafirmar a cada dia nossa opção republicana laica. E precisamos mostrar às próximas gerações de brasileiras e brasileiros que cada um tem o direito à liberdade plena. De manifestação, de associação. De crer ou não crer. E que ninguém tem o direito de se opor ao exercício desse direito.

Que se opor a esse exercício significa negar a república, a democracia e a tolerância religiosa brasileiras.

Portanto, em boa hora o Ministério Público Federal pediu à Justiça que sejam retirados símbolos alusivos a uma religião das dependências de prédios públicos federais. O espaço público é de todos, e não só dos adeptos daquela religião.

Os agnósticos e ateus, assim como as minorias adeptas a todas e quaisquer religiões, têm direito de estar nesses locais sem se constrangerem com a existência de símbolos de uma religião à qual não aderiram. Trata-se de respeitar cada brasileiro e cada brasileira no exercício pleno de suas liberdades públicas, que devem ser defendidas sempre de forma intransigente.

* Roberto Livianu é doutor em Direito pela USP, promotor de Justiça em São Paulo e coordenador, no Movimento do Ministério Público Democrático (MPD), de projeto sobre Estado laico. Artigo publicado na Folha de S. Paulo (7/8/2009).

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O QUE É SUCESSO? (Parte II)

Todos temos nossas próprias definições e convicções acerca de sucesso.

Na semana que passou vimos a definição de sucesso: conhecer o seu propósito na vida, desenvolver-se para atingir o seu potencial e lançar sementes que beneficiem outras pessoas, tudo isto para a glória de Deus. O quadro do sucesso não é o mesmo para duas pessoas, porque somos todos indivíduos ímpares, mas o processo é o mesmo para todo mundo. O sucesso é uma jornada, mais do que um destino. Você sempre estará se desenvolvendo em direção ao seu potencial, sempre será capaz de ajudar outras pessoas e o seu propósito na vida sempre está mudando. Vamos olhar mais de perto cada uma das definições de sucesso.

Conhecer o seu propósito. Você não pode realizar o seu melhor, a menos que tenha algum alvo na vida. Você precisa descobrir o seu propósito. Creio que Deus criou cada pessoa para um propósito. Nossa responsabilidade é identificá-lo. Veja algumas perguntas capazes de ajudá-lo a identificar o seu propósito: O que estou procurando? Todos nós abrigamos um forte desejo em nosso coração, algo que incendeia a nossa alma. Por que eu fui criado? Todos nós possuímos diferentes dons, talentos, personalidades e experiências. Deus moldou você para um propósito. Pense a respeito de sua história pessoal, suas habilidades e os recursos que estão ao seu alcance. Identifique-os e descubra os desejos do seu coração -- você estará na pista certa para descobrir o seu propósito. Acredito no meu potencial? Se você não acreditar realmente em si mesmo, vai agir de maneira inconsistente. Faça aquilo que puder, com o que possui, esteja onde estiver. Quando eu começo? Comece já!

Desenvolver o seu potencial. O nosso potencial é o presente de Deus para nós; o que fazemos com ele é o nosso presente para Deus. Mas ao mesmo tempo, o nosso potencial é provavelmente o nosso maior recurso intocado. Podemos fazer qualquer coisa, mas não podemos fazer todas as coisas. Um monte de pessoas permite que todos à sua volta estabeleçam a sua agenda para a vida. Você é do tipo “pau para toda obra”, mas que não é especialista em nenhuma delas? Aqui estão alguns princípios para ajudá-lo na estrada do desenvolvimento para atingir o seu potencial:
  • Concentre-se em uma meta principal. Exige foco. Não existe sucesso sem sacrifício. Do que você está disposto a desistir?
  • Concentre-se no aperfeiçoamento contínuo. Gosto do que David Glass, executivo principal do Wal-Mart, falou sobre o falecido Sam Walton, fundador do Wal-Mart: ”Jamais houve um dia em sua vida, desde o momento em que o conheci, em que ele não se aperfeiçoasse, de alguma maneira.” Você está em transformação. Jamais pare de aprender.
  • Esqueça o passado. O ontem terminou na noite passada. Posso pensar em pessoas como Booker T. Washington saído da escravatura; Helen Keller que perdeu a visão e audição aos 19 meses de idade; Franklin Delano Roosevelt que teve poliomielite.Todos os três fizeram importantes contribuições para a sua geração. Você não pode voltar e ter um novo começo, mas pode começar a partir de hoje e construir um novo final.
  • Fixe o seu foco no futuro. O futuro é o único lugar para onde podemos ir. O seu potencial está à sua frente. “Aquele que não olha para frente, permanece na retaguarda.”
  • Lançar sementes que beneficiem outras pessoas. Vivemos do que recebemos, mas a vida é realmente feita do que damos. Jesus veio para servir, e não para ser servido, e Ele provou isso, fez isso e falou a esse respeito vezes seguidas. Esse deveria ser o exemplo para seguirmos.

Whit Hobbs escreveu: “Sucesso é acordar pela manhã, seja você quem for, esteja onde estiver, seja velho ou jovem, e pular da cama porque existe em algum lugar, alguma coisa na qual você acredita, que você ama fazer e que é boa -- alguma coisa que é maior do que você mesmo e você mal pode esperar para se atirar a ela com afinco hoje.”

Fonte: Maná da Segunda

Na próxima semana teremos mais um pouco para pensar sobre sucesso. Até lá!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Perpetuum Jazzile

Este é da séria "Eu queria cantar em um coro assim!". Trata-se do Perpetuum Jazzile, coro de excelente qualidade técnica vocal da Eslovênia.

Recebi a dica da amiga Jilza Feitoza com a indicação de uma performance maravilhosa da Aquarela Brasileira. Nem parecem gringos. Cantam sem sotaque algum. Impressionante. Ainda contam com a brilhante participação do BR6. Estou à cata dos CD's de ambos. Até agora, nada... se você tiver alguma dica de onde posso comprar, envie pelos comentários.

Há uma vasta oferta de vídeos no YouTube. Gostei desse Medley dos Bee Gees.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

A IRÔNIA DE UM MUNDO EM GRIPE (Ops! em CRISE)


Já postei aqui vários textos e vídeos sobre a Gripe A. Inclusive, recentemente, as medidas que nossa igreja adotou para minimizar os riscos de transmissão em nossas reuniões.

Vale dizer, que as medidas foram totalmente bem aceitas pela membresia e pelos que participam conosco dos nossos encontros e celebrações.

Minha caixa de e-mails continua abarrotada de encaminhamentos sobre o tema - Gripe A.

Recebi este texto de uma ovelha (Esther Cruz). Trata-se de um texto anônimo. Não costumo dar valor a textos sem identificação de autoria. Mas esse tem o seu valor quando salienta a irônica contradição do mundo em que vivemos.

Não quero, com isso, desmerecer todo cuidado e, muito menos as medidas adotadas e em curso em nossa igreja.

Mas a realidade é, no mínimo, curiosamente contraditória. Por isso, o texto vale com uma interessante reflexão. Eis o texto:

A IRONIA NO SEU MELHOR ESTILO

- 2000 pessoas contraem a gripe suína e todo mundo já quer usar máscara.
- 25 milhões de pessoas têm AIDS e ninguém quer usar preservativo... (NB*: o sexo consagrado ao casamento é a melhor "camisinha" para a prevenção da AIDS. Mas vamos em frente...)

PANDEMIA DE LUCRO

Que interesses econômicos se movem por detrás da gripe porcina???

No mundo, a cada ano morrem milhões de pessoas vitimas da Malária, que se podia prevenir com um simples mosquiteiro.

Os noticiários, disto nada falam!

No mundo, por ano morrem 2 milhões de crianças com diarréia que se poderia evitar com um simples soro que custa 25 centavos.

Os noticiários disto nada falam!

Sarampo, pneumonia e enfermidades curáveis com vacinas baratas, provocam a morte de 10 milhões de pessoas a cada ano.

Os noticiários disto nada falam!

Mas há cerca de 10 anos, quando apareceu a famosa gripe das aves...

...os noticiários mundiais inundaram-se de noticias...

Uma epidemia, a mais perigosa de todas... Uma Pandemia!

Só se falava da terrífica enfermidade das aves.

Não obstante, a gripe das aves apenas causou a morte de 250 pessoas, em 10 anos... 25 mortos por ano.

A gripe comum, mata por ano meio milhão de pessoas no mundo. Meio milhão contra 25.

Um momento, um momento. Então, por que se armou tanto escândalo com a gripe das aves?

Porque atrás desses frangos havia um "galo", um galo de crista grande.

A farmacêutica transnacional Roche com o seu famoso Tamiflu vendeu milhões de doses aos países asiáticos.

Ainda que o Tamiflu seja de duvidosa eficácia, o governo britânico comprou 14 milhões de doses para prevenir a sua população.

Com a gripe das aves, a Roche e a Relenza, as duas maiores empresas farmacêuticas que vendem os antivirais, obtiveram milhões de dólares de lucro.

- Antes com os frangos e agora com os porcos.

- Sim, agora começou a psicose da gripe porcina. E todos os noticiários do mundo só falam disso...

- Já não se fala da crise econômica nem dos torturados em Guantánamo...

- Só a gripe porcina, a gripe dos porcos...

- E eu me pergunto-: se atrás dos frangos havia um "galo"... atrás dos porcos... não haverá um "grande porco"?

A empresa norte-americana Gilead Sciences tem a patente do Tamiflu. O principal acionista desta empresa é nada menos que um personagem sinistro, Donald Rumsfeld, secretário da defesa de George Bush, artífice da guerra contra Iraque...

Os acionistas das farmacêuticas Roche e Relenza estão esfregando as mãos, estão felizes pelas suas vendas novamente milionárias com o duvidoso Tamiflu.

A verdadeira pandemia é de lucro, os enormes lucros destes mercenários da saúde.

Não nego as necessárias medidas de precaução que estão a ser tomadas pelos países.

Mas se a gripe porcina é uma pandemia tão terrível como anunciam os meios de comunicação.

Se a Organização Mundial de Saúde (conduzida pela chinesa Margaret Chan) se preocupa tanto com esta enfermidade, por que não a declara como um problema de saúde pública mundial e autoriza o fabrico de medicamentos genéricos para combatê-la?

Prescindir das patentes da Roche e Relenza e distribuir medicamentos genéricos gratuitos a todos os países, especialmente os pobres. Essa seria a melhor solução.

PASSEM ESTA MENSAGEM POR TODOS OS LADOS, COMO SE TRATASSE DE UMA VACINA, PARA QUE TODOS CONHEÇAM A REALIDADE DESTA "PANDEMIA".

Pois os meios de comunicação naturalmente divulgam o que interessa aos patrocinadores, não aos ouvintes e leitores.

*** Fim do Texto Colato ***

* NB = Nota do Blogueiro ;-P

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O QUE (NÃO) É SUCESSO?

Através dessa pequena série de três editoriais, desejo compartilhar com você, à luz da Palavra de Deus, o que realmente vem a ser sucesso.

Hoje muito se fala em sucesso – financeiro, profissional, pessoal. Está em voga a política do empreendedorismo, do marketing pessoal, da boa imagem, enfim, todos estamos na corrida pelo sucesso.

O problema é que se perguntarmos às pessoas “O que é sucesso para você?”, teremos as mais diversificadas respostas. Ou seja, poucas pessoas têm, de forma precisa e madura, uma clara e objetiva definição de sucesso.

Acredito que a nossa definição de sucesso determine o alvo a ser perseguido em nossa existência.

Li há algum tempo que o Instituto Gallup desenvolveu pesquisa para que as pessoas definissem sucesso. Cinquenta e oito por cento das pessoas responderam que sucesso é ter saúde.

Convenhamos que em tempos pandemia de Gripe A, manter-se saudável é alcançar de alguma maneira sucesso em vida. Mas não dá para dizer que todo sucesso se resuma, ou pelo menos concentrem-se, em levar uma vida saudável.

O semanário Maná da Segunda alistou 5 conceitos equivocados de sucesso. São eles:

1) Riqueza. Ao contrário de muitos teimam em pensar, ter dinheiro suficientemente para ter o que eu quiser não determina sucesso verdadeiro e permanente. Ter dinheiro mais parece saco furado: quanto mais temos, mais queremos ter: “Quem ama o dinheiro nunca ficará satisfeito; quem tem a ambição de ficar rico, nunca terá tudo o que quer...”, diz Salomão em Eclesiastes 5.10. Dinheiro e riqueza é uma realidade vulnerável e transitória. Basta uma crise causada por especuladores, e todo sistema financeiro mundial vive dias cataclismáticos. Hoje eu tenho. Amanhã posso não ter mais. Ou pelo menos, não ter tanto...

2) Felicidade. Enquanto as pessoas viverem em busca de uma felicidade efêmera baseada nas circunstâncias estáveis e positivas da vida, não será possível definir sucesso como felicidade. Até porque as pessoas não entenderam ainda o que vem a ser a genuína felicidade.

3) Posses. De que adiante ter tanto - mansões, carros, viagens ao exterior, se não tiver paz no coração. O coração insaciável do homem não permitirá que em algum dia ele diga: estou satisfeito com o que eu tenho – eu quero só um pouco mais!

4) Poder. O ex-presidente norte-americano Abraham Lincoln disse: “Se você quiser testar o caráter de um homem, dê-lhe poder.” Se o poder estiver em mãos erradas, defini-lo como sucesso alcançado será questionável, concorda?

5) Realização. Muitas pessoas pensam: quando eu tiver... quando passar no concurso... quando eu me casar... quando eu tiver filhos... quando eu receber a promoção..., então serei uma pessoa bem-sucedida. Assim como em outras áreas, realizar algo não irá definir o sucesso definitivo. Afinal, quando alcançamos um objetivo, já teremos algum outro diante de nós. Logo, o sucesso poderá ser frustrado quando, por qualquer motivo, uma das metas deixar de se cumprir.

John Maxwell propõe: “Sucesso é: conhecer o seu propósito na vida, crescer para atingir o seu potencial máximo e lançar sementes que beneficiem outras pessoas.”
Sucesso é isto? Para muitos, provavelmente, não. Muitos insistirão em correr através do vento, achando que com isso alcançarão o pódio.

Continuaremos a nossa caminhada em busca do sucesso.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Covil de Salteadores

Quando o evangelho é utilizado por vendilhões para angariar um apoiozinho daqui e ali, a coisa esculhamba e eu tenho pezar de de ser chamado de evangélico.

O que esperar do Senado brasileiro, se a gente não consegue dar conta da sem-vergonhice estão os nossos arraiais???

Evangélicos? Há muito tempo abri mão desse título. Está difícil...

Achei essa pérola Youtube... que vergonha, meu Deus!

O nome de Jesus esculhambado ao extremo pela boca desses usurpadores da fé alheia. É o thriller show da fé de uns que se entitulam otoridade do povo de Deus. E o auditório hiperlotado!

Vou dizer o que? O errado deve ser eu...

MARANATA!

domingo, 9 de agosto de 2009

Oração de Um Pai Novato





Escrevi este texto em agosto de 2003. Aguardávamos o nascimento da Letícia. Faltavam poucos dias para o nascimento dela. Segundo a médica, poderia ser a qualquer momento. Lembro-me da expectativa e da emoção que envolviam aqueles dias.

Renovo hoje a minha oração, já com um tom de gratidão. A Letícia é muito mais do que eu podia esperar como pai. Espero ser para ela mais do que ela deva esperar.

O pai da Letícia

ORAÇÃO DE UM PAI NOVATO

Senhor, hoje é Dia dos Pais. É o primeiro que eu comemoro. Como esperei por isso! Eu te agradeço pelo dom da paternidade.

Obrigado pela herança que fizeste vir ao nosso lar. Quero dar graças pelo maior presente – Letícia. Tu sabes que ela é a nossa alegria.

Faltam poucos dias para eu ver o rostinho dela. Dizem que ela se parecerá comigo. Eu fico feliz por isso. Mas na verdade, Pai, eu quero mesmo é que ela se pareça com Jesus...

Confesso o meu temor diante de tão grande responsabilidade. Não sou capaz de, por eu mesmo, ser tudo aquilo que deverei ser para ela. No entanto, sei que contigo devo aprender todas as coisas acerca desta incomparável tarefa de conduzir minha filha nos caminhos da vida. Quero ser exemplo!

Tu sabes, Senhor, que antes mesmo dela ser gerada, Jeanni e eu a colocamos em Teu altar. Ela é Tua, antes de tudo! Sabe, Senhor, isto me dá segurança: saber que é a tua mão que a sustenta e a sustentará por todos os dias. Estou seguro, pois todos os dias da Letícia já estão escritos em teu livro. Toma-a em tuas mãos amorosas. Protege-a das ciladas do Inimigo.

Quero encontrar em tua Palavra a sabedoria para ensiná-la a andar no Teu caminho. Quero ensiná-la a amar-Te sobre todas as coisas. Quero fazê-la descobrir o prazer de meditar na Tua Lei. E quando chegar a hora, eu quero vê-la entregando o seu coraçãozinho a Jesus.

Quero, também, Senhor, aprender com aqueles que obtiveram sucesso na criação de seus filhos. Quero aprender com pais que foram e são bem-sucedidos em suas funções. Em especial, quero aprender com papai as virtudes para ser um pai abençoado que vê os seus filhos andando na Verdade. Como ele fez comigo, quero sempre ter tempo para brincar com ela de “cavalinho” ou quem sabe de “lobo mau”. Será que ela vai querer “colar” em meus ombros para sempre como um dia eu quis que fosse feito em papai? Eu vou deixá-la ganhar todas as corridas, levá-la para passear ou tão somente acompanhar-me onde eu for. Quero ensiná-la a cantar “O mundo de Deus” enquanto contemplamos a lua ou as estrelas, as montanhas ou as praias. Quero, Senhor, que a Letícia sempre saiba o quanto ela é importante em nossa casa.

Pai Celeste, Jeanni e eu suplicamos: vem abençoar a nossa união para que a Letícia sinta segurança em nossa casa. Que possamos construir um lar que permanecerá para sempre firmado na Rocha. Para isso, queremos depender de ti dia após dias.
Senhor, nem imagino o que ela poderá vir a ser quando crescer. Mais uma coisa eu desejo: que ela seja uma serva fiel. Certamente não poderei dar a ela riquezas. Quero sim, fazê-la herdeira das tuas promessas, do teu amor e da fé que eu tenho em Ti. Que ela entenda que esta é a maior herança...

Pai Celestial, se não for pedir demais, multiplica os meus dias para vê-la crescer e tudo isso se cumprir.

Em nome de Jesus, Amém.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A IBMéier no Combate à Gripe A

Diante do que tem sido noticiado em toda a imprensa nacional face à pandemia da Gripe A, tomamos algumas providências administrativas para que os encontros da Igreja Batista do Méier continuem sendo motivo de alegria, conforto e segurança para todos os que participam de nossas reuniões e celebração.

São elas:

1) No próximo domingo, e enquanto durar o alerta das autoridades de saúde do nosso país, as janelas do salão de cultos serão abertas, bem como as portas de vidro que dão acesso de entrada para os cultos. Se necessário for, ligaremos os aparelhos de ar condicionado na função ventilação para amenizar o calor. Nossas janelas eram soldadas e vedadas até hoje (não entendemos a justificativa com que foram realizadas essas soldas). Providenciamos a abertura das mesmas para favorecer a circulação e renovação do ar durante nossas programações.

2) O berçário não funcionará até que vençamos o estado de alerta que vivemos. Os profissionais da saúde orientam que a atenção seja redobrada com bebês e gestantes. Em função da fase oral pela qual os bebês passam, é muito fácil a troca de secreções entre eles. Normalmente os bebês mordem brinquedos, babam, e não tem consciência de tomar os cuidados necessários para evitar a transmissão do vírus. A equipe do nosso Módulo Infantil está sendo orientada para que todo o cuidado seja tomado para minimizar os riscos.

3) As salas de aula da EBD deverão permanecer arejadas e abertas tanto portas quanto janelas.

4) Nas salas onde há ventiladores de teto, SE NECESSÁRIO, eles serão ligados na função “exaustão”.

5) Disponibilizamos em nossos banheiros álcool gel para higienização das mãos. Incentivamos a que cada um tenha o seu para uso próprio, e mantenha o hábito de higienizar as mãos com bastante frequência.

6) Além dos banheiros, haverá dois grandes recipientes com Álcool em gel à entrada do salão de cultos para que todos efetuem a higienização de suas mãos.

7) Estarão disponíveis, também à entrada do salão de cultos, máscaras higiênicas descartáveis, para os que desejarem, e sentirem-se mais seguros por utilizá-las. Lembramos que a máscara não é o meio mais eficaz para a prevenção da contaminação própria, mas sim para evitar-se a proliferação do vírus por quem já esteja possivelmente infectado.

8) Os bebedouros foram substituídos por tempo indeterminado. O consumo de água deverá acontecer somente com uso de copos descartáveis já disponibilizados nos locais onde anteriormente tínhamos os bebedouros de sucção. Apelamos para que o uso dos copos seja feito com consciência de economia para evitar-se o desperdício. Pedimos, especialmente aos pais, que observem e controlem o acesso das crianças ao reservatórios de água.

9) Contrariando os nossos valores, mas expressando prudência diante das circunstâncias atuais, devem ser evitados durante as atividades contato muito próximo (como beijos, abraços, cumprimentos, etc), especialmente crianças, grávidas e idosos.

10) Qualquer pessoa que apresentar algum sintoma de gripe (tosse, febre, obstrução nasal, corisa, mesmo que pareça um quadro mais leve) deve deixar de freqüentar locais com aglomerados de pessoas (inclusive a igreja) por 14 dias, que é o período máximo de transmissão.

11) É importante providências de higiene pessoal, começando em casa, tais como: proteger a boca ao tossir, usar o cotovelo para segurar o espirro, lavar sempre as mãos e não emprestar objetos de uso pessoal.

Sabemos que muitas dessas providências trazem desconforto para muitos, mas visamos o bem comum, e queremos dar a nossa contribuição como igreja para que essa pandemia seja vencida e o medo afastado de todos nós.

Contamos com a compreensão, com o carinho e, especialmente, com a cooperação para que essas iniciativas sejam benéficas para todos da nossa família.

Com carinho,
Seu pastor

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Vídeos sobre a GRIPE A (INFLUENZA H1N1)

Vídeos produzido pela Igreja Batista do Bacacheri para trazer esclarecimentos oportunos sobre a pandemia da Gripe A.




terça-feira, 4 de agosto de 2009

Família é Coisa Séria!

Enquanto a gente não aprender a lidar seriamente com o pecado que guerreia contra o Espírito de Deus em nós, estaremos à merce dos riscos e (im)possibilidades que ameaçam a nossa integridade, de nosso caráter e de nossa família.

Assista o vídeo, medite na letra da canção. Você pode não gostar do estilo musical, mas há de concordar que a mensagem é profunda e tocante. E as imagens, fortes e claras, nos conduzem a um desafio: são nossas atitudes (grandes ou pequenas) que determinam nossas escolhas. E estas, por suas vez, determinarão os resultados colhidos logo após.

Sendo assim, pense duas vezes sempre!



Valeu, rapaziada do Palavrantiga pela dica do vídeo e pelo tempo precioso que compartilhamos no último sábado pela manhã! Que Deus abençoe vocês em cada passo que vocês derem.

domingo, 2 de agosto de 2009

GRIPE A (INFLUENZA H1N1)


Estamos em pleno surto de uma gripe causada por um novo vírus e que está gerando uma série de impactos no cotidiano de cada um de nós. Diante da dura realidade que estou vivenciando nos hospitais onde trabalho, minha pergunta é: “O que nós podemos fazer diante disto enquanto cidadãos e cristãos?”

Como se trata de uma situação de emergência na saúde pública internacional (pandemia), a abordagem prioritária são os aspectos sanitários de como agir para minimizar a propagação do problema. Em termos médicos, penso que três passos são fundamentais neste momento: ( 1) Conhecer o problema (2) enfrentar adequadamente e (3) superar com serenidade

CONHECENDO A GRIPE A: Os principais sintomas da doença são o aparecimento súbito de febre acima de 38 C, tosse seca e frequente. Os sintomas secundários são dor de garganta, coriza, irritação nos olhos, dores na cabeça, no corpo e nas articulações. Pode evoluir para pneumonia e insuficiência respiratória aguda.

ENFRENTANDO ADEQUADAMENTE: caso haja suspeita de estar com algum tipo de gripe, inicialmente fique em casa em repouso. Se for extremamente necessário sair de casa e ainda tiver sintomas respiratórios (tosse ou espirros), use máscara até completar sete dias do início dos sintomas. PORÉM, se apresentar sintomas principais sugestivos de gripe A ou a febre não baixar com medicamento antitérmico, ou sentir falta de ar, procure assistência médica ou uma unidade 24 horas da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba. É importante buscar orientação ou ajuda médica, se necessário, mas sem pânico.

SUPERANDO COM SERENIDADE: O bom senso e os cuidados higiênicos são essenciais para enfrentar esta situação. As autoridades sanitárias estão tomando as medidas cabíveis e emitindo recomendações temporárias para resguardar a saúde de todos.

Assim como a gripe comum, a gripe A (Influenza H1N1) é transmitida de pessoa a pessoa, através da tosse e espirro ou pelo contato com pessoas infectadas.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou o nível do risco de transmissão da gripe para o máximo de alerta (nível 6) visto sua ocorrência atualmente em mais de 75 países e vários continentes. Em Curitiba e outras cidades brasileiras, medidas rápidas de prevenção foram implantadas, entre elas, a suspensão das aulas para evitar a transmissão deste vírus. Continuamente estão sendo divulgadas informações na mídia, entretanto, devem ser confrontadas com as fontes seguras e oficiais dos órgãos de saúde para que se evitem distorções, insegurança e medo exagerados.

COMO SE PREVENIR DURANTE ESTE PERÍODO DE ALERTA MÁXIMO:
- Evite cumprimentar as pessoas com as mãos e com beijo no rosto;
- Ao tossir ou espirrar, cubra o nariz e a boca com lenços de papel e descarte-os imediatamente;
- Lave as mãos com freqüência com água e sabonete ou use ácool gel 70;
- Mantenha as janelas abertas e ambientes ventilados;
- Evite ambientes fechados e com aglomeração de pessoas;
- Aumentar o consumo de água, dormir e se alimentar melhor;

Quando pessoas, cidades e nações experimentam adversidades, nós cristãos precisamos buscar em Deus e na sua palavra, escrita na Bíblia, forças e direção. No livreto DEPOIS DA CATÁSTROFE, de Ajith Fernando (Ministério RBC), escrito logo após a tragédia do tsunami (2004), somos incentivados a aceitar a soberania de DEUS. Nossa pergunta diante das turbulências da vida deveria ser ”quais devem ser meus pensamentos durante esta crise? E como posso responder a esta crise, de maneira cristã?

Acredito que três pilares devem sustentar nossa saúde física, mental e espiritual durante a caminhada diária, independente das circunstâncias: (1) a fé (2) a esperança e (3) o amor.

FÉ: Primeiramente precisamos renovar nossa fé porque Deus está no controle da situação. A fé é a certeza das coisas que não se vêm... (Hebreus 11)

ESPERANÇA: Através da leitura da Bíblia e oração somos abastecidos com as promessas de Deus para nosso desenvolvimento pessoal e para encorajar aqueles que sofrem ao nosso redor. Precisamos perseverar porque Deus nos cuida e suas misericórdias se renovam cada manhã. “No mundo tereis aflições, mas tende bom animo – eu venci o mundo”; “dou-vos a minha paz”...são alguns dos versículos que precisam estar incorporados ao nosso pensar e agir.

AMOR: é a outra parte da fé. Um agir responsável, fazendo nossa parte e estimulando os outros a fazerem também. Nos tempos de angústias temos mais oportunidades de praticar nosso cristianismo. Chorar com aqueles que choram, expressar-lhes nossa preocupação, ser mais solidários e úteis aqueles que precisam de nós.

Eventos como pandemias, furações, inundações, guerras e rumores de guerra provocam um alerta urgente. Elas devem nos trazer sensatez e lembrar nossa vulnerabilidade. São oportunidades para compreender que nossa passagem na terra é curta demais para ser egoísta e que o tempo que temos para construir é unicamente este. Repensar os nossos modelos e investimentos de tempo, energia e recursos. O trabalho mais poderoso que um cristão pode fazer é orar e demonstrar amor.


Já que teremos que diminuir o ritmo, vamos aproveitar este período para reaprender a dar valor ao que realmente é importante, encher a nossa mente dos ensinamentos bons e maravilhosos da Bíblia, fortalecer nosso relacionamento com Deus, viver com simplicidade, conversar com os amigos, apreciar melhor a família e ser mais feliz.

Vamos colaborar com as recomendações sanitárias, interceder pelo nosso país e ajudar as pessoas a se cuidarem corretamente. Estarmos vivos e sadios é um verdadeiro presente!

Kátia Sheylla Malta Purim – membro da Igreja Batista do Cajuru.
Médica e Professora do Curso de Medicina (UP)

Fonte: Boletim Dominical da Igreja Batista do Cajuru (Curitiba - PR)

Leia as Atualizações no seu Reader

Pra Cumprir Teu Chamado

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails