sábado, 31 de dezembro de 2011

PLANEJAR O IMPREVISÍVEL - UM 2012 ABENÇOADO PARA VOCÊ!

Nestas últimas horas de 2012, nossas mentes se voltam para o futuro. Até ontem, a ênfase era lembrar dos feitos do Senhor no ano que passou. As atividades do final de ano, é claro, consumiram boa parte de nossos pensamentos, forças e recursos: festas, presentes, musicais, janelas, abraços, confraternizações… Agora, porém, é tempo de pensar em 2012. O que nos reserva o próximo ano? Que acontecimentos inesperados afetarão nossas carreiras, famílias ou igreja? Como se comportará o mundo? Que mudanças viveremos? O mundo acabará em março?

Como tentamos nos preparar para o futuro? Procuramos observar as tendências. Projetamos situações ideais. Elaboramos orçamentos. Visualizamos metas alcançáveis. Tentamos enxergar o futuro com as lentes da esperança. Uma coisa, porém, não conseguimos: prepararmo-nos para o inesperado, o imprevisto, o incompreensível! E isso é assustador!

Quando percebemos que o ano que terminou trouxe em sua agenda inúmeras situações inesperadas, catástrofes imensuráveis, tragédias imprevistas, buscamos a precaução de termos um Plano B para cada situação. Mas isso é demais para mim e para você...

No maravilhoso livro de Provérbios, há inúmeras referências à sábia habilidade de planejar com eficiência, inclusive diante do desconhecido. Que tal estas três?

  • Há limites para os nossos planos. Podemos aprender com o passado, viver intensamente o presente, mas o futuro permanecerá incerto. Podemos fazer conjecturas magníficas e um planejamento irretocável, mas o único que sabe com certeza o que vai acontecer é Deus. “Os passos do homem são dirigidos pelo Senhor. Como poderia alguém discernir o seu próprio caminho?” (Provérbios 20.24). “Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, mas o Senhor é que dá a vitória.” (Provérbios 21.31)
  • Dependa de Deus para cada passo. Quando planejamos, queremos que nossas decisões sejam seguras e tenham bons resultados. Mas poucas vezes lembramos de levar Deus em consideração: quais seriam os planos dele? Assim, nosso planejamento é incompleto sem oração e o desejo de nos alinharmos com as intenções do Eterno. “O Senhor faz tudo com um propósito...” (Provérbios 16.4a) “Os olhos do Senhor protegem o conhecimento, mas Ele frustra as palavras dos infiéis.” (Provérbios 22.12).
  • Saiba que a sua única garantia é o Senhor! Frequentemente, quando fazemos planos, pressupomos que nada acontecerá que interrompa ou mude tais planos. Mas imprevistos acontecem - furacões, terremotos, chuvas torrenciais, reviravoltas econômicas, doenças, crises, e até mesmo a morte. O sábio não se garante em si mesmo: “Não se gabe do dia de amanhã, pois você não sabe o que este ou aquele dia poderá trazer.” (Provérbios 27.1)


Desejo, e oro ao Senhor da Eternidade, que 2012 seja um ano muito especial para a sua vida e sua família. Sugiro, para isso, que cada plano, sonho ou vontade do seu coração esteja em absoluta submissão ao que Deus tem para nós. E eu creio: é muito melhor do que eu possa planejar. Foi o que eu e você vivemos em 2011.

A Ele seja a glória em todo o 2012, e para sempre!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

EM DEUS NÃO EXISTE "SE"

Quando o assunto é Deus, "se" não existe.

Na semana que passou, uma entrevista que assisti na GloboNews causou um grande impacto em minha vida. A entrevista foi concedida a Geneton Moraes Neto. Os entrevistados foram Jimmy Carter, ex-presidente dos EUA, e Desmond Tutu, Arcebispo sul-africano aposentado. Os dois participavam de um encontro dos ELDERS que aconteceu aqui no RJ, há poucas semanas. Os Elders são 10 anciãos de proeminência mundial que se reúnem duas vezes por ano para debater saídas para conflitos e problemas geopolítico-sociais do mundo moderno.

A pergunta feita a Tutu foi: "Qual seria a primeira pergunta que o senhor gostaria de fazer a Deus, SE tivesse a oportunidade de encontrá-lo cara a cara?"

Carter, rapidamente, interferiu: "SE", não. "QUANDO!"

Carter e Tutu, ao longo de toda a entrevista, puderam dar testemunho de uma espiritualidade cristã viva e relevante.

Tal intervenção levou-me a refletir sobre as certezas nas quais preciso estar firmado e, no mínimo, naquilo que ainda preciso aprender sobre e com Deus. Se em Deus não existe “Se”, é certo, também, que:
  • NELE NÃO HÁ DÚVIDA – Deus é! Enquanto o conhecimento humano propõe as suas variáveis e variantes, Deus é o mesmo ontem, hoje e será para todo sempre. Isso lança fora a fraqueza, a inconstância e o medo.
  • NELE NÃO HÁ MEDO – Consequentemente, a certeza que ele nos dá faz-nos descansar em seus desígnios, mesmo quando eles fazem pouco (ou nenhum) sentido em nossa lógica. Isto é segurança! Isto dá paz!
  • NELE NÃO HÁ INJUSTIÇA – A maneira como conjugamos os verbos e aplicamos as conjunções revela o quão instáveis e insubmissos somos. Só há uma maneira de relacionarmo-nos com Deus, sujeitando a nossa efemeridade à sua glória eterna. Hoje, pouca coisa faz sentido. Porém, crer na soberania de Deus e no maior de todos os dons que ele nos deu – a liberdade – dá-nos a convicção de que ele é bom e está no controle. Chegará o dia em que as nuvens escuras serão lançadas sobre os oceanos e o sol mostrará o seu fulgor incomparável e sem fim.
  • NELE NÃO HÁ MORTE – O natural é concebermos o fim de todas as coisas sob a ótica da morte, como se ela tivesse a autoridade de determinar o tempo e a validade de todas as coisas. A verdade é o oposto. A morte está sujeita à vontade e à eternidade de Deus. “Ela não é o fim”, como afirma Carter em outro momento da entrevista. Quem está em Deus sabe que a morte é o descortinar da glória planejada por Ele para aqueles que escolheram viver nele!
Sei que as circunstâncias nos seduzem a vivermos sobre as conjecturas dos “Se”. A verdade, entretanto, é que quando cremos em Deus somos ensinados a confiar e descansar que a essência do Seu Caráter é bondade e amor.

Uma vez que Deus é bom, ainda que as circunstâncias sejam ruins, difíceis e inexplicáveis, a eternidade confirmará que ele sempre soube o que estava fazendo o tempo todo.

E quanto a mim, vou aprendendo um pouco mais dele em cada dor, no intuito de ser achado fiel e crente. Isso para que, pela Graça, seja achado digno (mesmo sendo tão indigno!) de ser colocado na glória eterna quando todo os “se” terminarem aqui no mundo e restar uma última possibilidade – ser salvo!

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A Palvra e uma imagem

"Salva o teu povo e abençoa a tua herança! Cuida deles como o seu pastor
e conduze-os para sempre." (Salmo 28.9)

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Conectividade, Interatividade, Proximidade - O Futuro Chegou!

O tal futuro está mais perto do que pensamos. Agora é a vez da Microsoft tentar posicionar-se à frente das demais. Este posto está ocupado pela Apple há tempos.

Gosto de filmes de Sci-fi. Sempre penso que a tecnologia futurista que eles mostram lá já está nas bancadas de algum laboratório do mundo, e em breve estará nas prateleiras seduzindo-nos.

Este vídeo exemplifica a minha tese, e me fez perceber que Os Jetsons se tornaram pré-históricos num curto espaço de tempo de 6 minutos e 18 segundos...

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Arriba, Divorcio. Abajo, Matrimonio!

Cidade do México estuda permitir casamentos renováveis a cada dois anos

Ignacio de los Reyes
BBC Mundo, México

A Assembleia Legislativa da Cidade do México vai discutir uma mudança no Código Civil para implantar contratos de casamento que possam ser renovados a cada dois anos, caso os cônjuges queiram continuar com o relacionamento.

A proposta, que deve ser discutida na Comissão de Administração da assembleia, visa reduzir o número de divórcios, garantir o sustento dos filhos e agilizar o processo administrativo no caso do fim do casamento.

O contrato de dois anos seria opcional e evitaria o excesso de trabalho no setor do Judiciário que cuida de divórcios.

O casal que optasse pelo contrato temporário poderia ver se o casamento funciona durante o período de dois anos.

"Dois anos é um tempo mínimo que já permite conhecer e avaliar como é a vida do casal. Se o casal renova (o contrato), isto vai significar que há um entendimento com seu parceiro, que as regras estão claras e que os dois cônjuges tenham certeza jurídica de seus direitos e deveres", disse à BBC a deputada Lizbeth Rosas Montero, que faz campanha pela proposta.

Para a deputada, esta mudança no Código Civil vai favorecer as "relações mais saudáveis e harmoniosas entre casais, ajudaria a restabelecer o tecido social e a estabilidade das famílias", que seriam poupadas do trauma e dos custos de um divórcio.

O contrato temporário de casamento também prevê uma série de acordos que seriam firmados entre o casal antes do casamento.

Nestes acordos, os cônjuges poderiam determinar, por exemplo, quanto dinheiro cada um pagaria para manter os filhos ou o tempo em que se pagaria uma pensão em caso de separação.

Oposição
Alguns deputados da Cidade do México já se pronunciaram contra o casamento "renovável", alegando que este contrato vai contra o conceito tradicional de casamento "para toda a vida".

Organizações conservadoras, como a União Nacional de Pais de Família, também já se pronunciaram contra a proposta.

"Inicialmente pensei que era uma piada de mau gosto", disse a diretora da organização, Consuelo Mendoza, à BBC.

"Este tipo de iniciativa cria uma cultura do descartável em temas importantes para a sociedade. Se os pais tem problemas, primeiro precisam procurar outras soluções."

"Imagine o impacto emocional que teria para um filho. A angústia de pensar, a cada dois anos, se mamãe e papai vão renovar o contrato", acrescentou.

Na Cidade do México cinco em cada dez casamentos terminam em divórcio. Desde que o chamado Divórcio Expresso entrou em vigor em 2008 na capital mexicana, uma medida que permite o fim do casamento em quatro semanas, ocorreram cerca de 60 mil divórcios na capital mexicana.

MEU PITACO:
O mundo continua brincando... sem mais, meritíssimo!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Redes Socias e Seus Riscos

Via Pavablog - Adaptado de IG

Expor demais sua vida nas redes sociais não é uma boa ideia. Mas isolar-se completamente e apagar sua vida online tampouco é a resposta, afinal, todos estão por lá: amigos, vizinhos, parentes e colegas de profissão. Ter uma vida social “virtual”, é quase inevitável e provavelmente desejável. Sem falar na vida profissional, já que as redes sociais são cada vez mais usadas para manter o networking em dia.

A autocensura, claro, é opcional. Há quem argumente que seu perfil online é sua vida pessoal, e que por isso tem o direito de dizer o que quer. É verdade. Mas pensar duas vezes antes de falar sempre foi um bom conselho, e não é diferente na internet. “Tenha controle sobre as redes sociais. Não deixe que elas controlem você. Esse é o maior desafio. Hoje elas viraram um vício, pois fazem você se sentir uma pessoa amada e ouvida. Mas nem todos que estão lá querem o seu bem. Portanto não seja tão inocente”, adverte a consultora de imagem Alana Rodrigues Alves.
10 motivos para se comportar nas redes sociais. Veja:
1 – Não há segredo
“Tudo o que está ali é para ser visto por alguém. As outras pessoas podem usar suas informações do jeito que acharem melhor e você não tem o menor controle sobre isso”, afirma Alana. Por mais que você se preocupe em apenas autorizar amigos a visualizarem suas informações e suas postagens, muitas vezes eles podem passar isso adiante através de recursos que as próprias redes sociais oferecem, como é o caso do Retweet, utilizado no Twitter. “Revelar informações de outras pessoas é uma indiscrição, mas muitos a cometem”, afirma a consultora de imagem Andrea Azevedo.
2 – Empresas checam perfis em redes sociais antes de contratar

Recrutadores descobriram que as redes sociais podem revelar detalhes importantes que passam despercebidos em entrevistas e dinâmicas. Por mais injusto que possa parecer, empresas brasileiras já admitem a prática. “Você tem o direito de beber durante o final de semana, se desejar. Mas você contaria para o seu chefe, na segunda-feira, que passou o domingo bêbado? Essa é a imagem que deseja ter no seu ambiente de trabalho?” indaga a consultora de imagem pessoal, moda e etiqueta Ana Vaz. Ela diz que é mais ou menos isso que pode acontecer quando você anuncia sua bebedeira através do seu perfil. “Precisamos aprender que o limite entre o público e o privado está cada vez mais tênue, e usar as ferramentas da internet de maneira correta.”
3 – Tudo o que você disser pode e será usado contra você
Se a internet já foi terra de ninguém, esse tempo passou. Hoje, existem profissionais especializados em localizar e provar quem cometeu crimes como injúria, calúnia e difamação na web. Por isso, seja responsável por todos os seus comentários. “Mesmo que você se arrependa e apague o que escreveu no Facebook, as coisas ficam registradas. É sempre importante ter em mente que o arrependimento na internet é muito mais complexo do que parece. E nem sempre é possível”, explica Ana Vaz. Além de falar mal de pessoas e empresas, muitos deixam recados, nem sempre amigáveis, sem especificar a quem a crítica é dirigida. “Isso é definitivamente deselegante”, adverte Ana.
4 – O que você mostrar em suas fotos também pode ser usado contra você

Fotos podem representar dois tipos de problemas. O primeiro é você se mostrar em uma situação que pode parecer engraçada para alguns e constrangedora para outros. Além disso, você pode estar em uma foto que foi publicada por outra pessoa. Não existe controle sobre o que os outros mostram da sua vida. A consultora em etiqueta e marketing pessoal Lígia Marques, que acaba lançar este mês o livro “Etiqueta 3.0 – Você Online & Offline” (Ed. Évora), acredita que aqui o que vale é o bom-senso: “Se for algo comprometedor, não publique. Pense que isso pode prejudicar seu amigo. E, se isso acontecer com você, peça para que retirem a foto do ar.”
5 – As comunidades de que você participa podem te prejudicar
“Detesto acordar cedo” ou “Odeio trabalhar” são opiniões que podem causar constrangimento em algum momento. Ana alerta: “As pessoas têm direito de participar do grupo que desejarem, mas precisam entender que muito do que está ali pode ser considerado um defeito em algumas circunstâncias. A celebração de um defeito pode ser bastante prejudicial.”
6 – Pega mal exibir toda e qualquer conquista financeira
Além de parecer exibição, é bastante perigoso expor sua vida financeira. “Costumo dizer que o Foursquare, rede social que possibilita ao usuário dizer onde está naquele momento, é praticamente uma plaquinha escrita ‘roube-me’. Se você está passando uma temporada com a família em Paris, por exemplo, e alardeia esse fato, muitos poderão deduzir que sua casa está vazia”, afirma Ana. Ela ainda ressalta que nem todos os seus amigos na rede social podem ter uma vida financeira tão confortável e esse tipo de exposição pode fazer você passar por esnobe.
7 – Você pode ser flagrado mentindo

“Mentira é ruim em qualquer circunstância”, sentencia Andrea. “Muita gente mente dizendo que está doente para poder faltar ao trabalho. Já pensou se seu chefe entra em seu perfil e você publica que está passeando no shopping, por exemplo? As pessoas falam muito, expõem demais e não pensam nas consequências”, adverte Ana.
8 – Seu ex está de olho na sua vida atual
Quando um relacionamento chega ao fim, é comum que uma das partes saia magoada ou mesmo demore a aceitar o término. A consultora Lígia Marques argumenta que pessoas magoadas cometem atos inadequados. “Mágoa e ressentimento podem provocar revides e comentários inapropriados. Evite expor detalhes de sua vida social e amorosa.”
9 – O seu futuro namorado pode estar por lá, observando seus passos

“E, dependendo do que você escrever ou mostrar, qualquer possibilidade de ter algo mais sério entre vocês pode terminar precocemente”, afirma Lígia. Ana acredita que isso pode não ser tão ruim. “Eu consigo enxergar algo de bom: se ele não aceita o seu jeito de ser é melhor que ambos descubram o quanto antes”.
10- Sua mãe (ou pai) pode ser sua amiga no Facebook ou te seguir no Twitter
Aí já viu né?

O Pedido de Uma Criança a Seus Pais


Não tenham medo de serem firmes comigo.
Prefiro assim. Isto faz com que eu me sinta mais seguro.

Não deixem que eu adquira maus hábitos.
Dependo de vocês para saber o que é certo ou errado.

Falem comigo com educação e aprenderei como devo fazer dentro e fora de casa.

Leiam, cantem e sorriam pra mim e aprenderei a ser feliz.

Fiquem atentos aos meus estudos e não façam minhas tarefas. Se fizerem isto, ficarei preguiçoso e nada produzirei.

Não me corrijam com raiva, nem na presença de estranhos.
Aprenderei muito mais se me falarem com calma e em particular.

Sempre me falem a verdade, e sejam honestos em seus sentimentos.
Assim aprenderei a ser uma boa pessoa quando crescer.

Não me protejam das consequências de meus erros.
Às vezes eu preciso aprender pelo caminho áspero.

Não levem muito a sério as minhas pequenas dores.
Necessito delas para poder amadurecer.

Não me estraguem. Sei que não devo ter tudo o que peço.
Só estou experimentando vocês. Me satisfaço com coisas simples.

Não é preciso gritar comigo para que eu ouça vocês.
O grito separa os nossos corações.

Não sejam irritantes ao me corrigirem.
Se assim o fizerem, eu poderei fazer o contrário do que me pedem.

Não me façam promessas que não poderão cumprir depois.
Lembrem-se de que isto me deixa profundamente desapontado.

Não ponham à prova a minha honestidade.
Sou facilmente levado a dizer mentiras.

Não me apresentem um Deus carrancudo e vingativo. Isso me afastará dEle.
E só me apresentem a Deus se vocês se relacionarem com Ele.
Senão, isso me tornará incrédulo.

Não desconversem quando faço perguntas, senão serei levado
a procurar respostas na rua todas as vezes que não as tiver em casa.

Não se mostrem para mim como pessoas infalíveis.
Ficarei extremamente chocado quando descobrir um erro em vocês.

Não digam simplesmente que meus receios e medos são bobos ou não existem.
Ajudem-me a compreendê-los e vencê-los.

Não digam que não conseguem me controlar.
Eu me julgarei mais forte que vocês.

Não me tratem como uma pessoa sem personalidade.
Lembrem-se que eu tenho meu próprio modo de ser e pensar.

Não vivam me apontando os defeitos das pessoas que me cercam.
Isso irá criar em mim, mais cedo ou mais tarde, o espírito de intolerância.

Não se esqueçam que eu gosto de experimentar as coisas por mim mesmo.
Não queiram ensinar tudo para mim.

Não tenham vergonha de dizer que me amam.
Eu necessito desse carinho e amor para poder transmiti-lo a vocês e aos outros.

Não desistam nunca de me ensinarem o bem,
mesmo quando eu parecer não estar aprendendo.

Insistam através do exemplo e, no futuro, vocês verão em mim o fruto daquilo que plantaram.

Não existe fórmula para a criação de um filho, mas pense:
Duas doses de amor e uma de educação é um bom começo.

O EXEMPLO não é a melhor forma de educar seu filho, ele é a ÚNICA!

Autor Desconhecido

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

ORAÇÃO DE CRIANÇAS


Via Israel Belo (Bom Dia - Prazer da Palavra)

Sua professora ficou desesperada. A menina, de sete anos, sumiu da sala. Para piorar, outras três crianças também tinham desaparecido.

Ela começou a procurar por todas as salas, espalhadas pelo templo da igreja onde funcionava o projeto de reforço escolar, que ela mesma fundara havia poucas semanas e coordenava.

Na sua busca naquela manhã, o coração disparado ("onde foram parar?"; "será que foram para a rua, meu Deus?"), uma senhora trouxe uma informação:
- Tem algumas crianças na sala de oração.

Alívio. Lá estavam as quatro.

A menina contou:
- Hoje acordei com os gritos dos meus pais brigando. Vi meu pai com um papel na mãe. Ele queria que a minha mãe assinasse, para venderem a nossa casa. Ele quer se separar da minha mãe. Então, viemos aqui, com minhas amigas, para Jesus não deixar papai vender a nossa casa e ir embora.

Então, eu me lembrei do salmo 8 ("Da boca de pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos teus adversários, para fazeres emudecer o inimigo e o vingador").

Não é de emudecer?

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Pastor é Como Técnico de Futebol


Por Israel Belo (via Prazer da Palavra)

Cada membro da sua igreja sabe como seu pastor deve escolher sua equipe, como deve pregar naquela noite coalhada de visitantes, como deve dirigir o culto, a quem deve chamar a atenção, que roupa deve vestir, de que lado deve batizar, a quem deve negar a Ceia do Senhor, a quem convidar para o substituir no púlpito, que interpretação é melhor para o texto lido, quantos minutos deve durar a mensagem, que cânticos devem ser entoados, qual o tamanho do boletim, que gravata lhe "cai" melhor, como segurar o bebê na sua apresentação...

O pastor então deve rir de tudo isto.

Eu me lembro, quando era reitor do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, que numa mesma reunião de uma Assembleia da Convenção Batista Brasileira, eu fui acusado, num intervalo de cinco minutos, de ser fundamentalista por um um e de ser liberal por outro. Tive que rir.

É claro que não vamos rir de tudo. Depois de ouvir, vamos ver a crítica que procede, a sugestão que merecer ser guardada.

Não temos como atender a todas as expectativas e nem conter todas as vaidades.

10 Itens que Matam a Produtividade Diária

Um planejamento semanal bem elaborado pode cair por terra quando as atividades diárias pré-estabelecidas são deixadas de lado por motivos circunstanciais ou urgentes, que atrapalham a produtividade. Será que você tem passado por isso? Confira a lista abaixo e veja com quais itens você se identifica.

1 – E-mail – Ficar com o e-mail aberto faz o nível de interrupções ficar intolerável, aumenta a ansiedade e a sensação de atividades por fazer. Recomendo definir períodos para lidar com as suas mensagens sendo que no resto do tempo o caixa deve ficar fechada.

2 – Não ter clareza sobre o que fazer – O que você precisa fazer primeiro? Você sabe pelo menos 80% do que deve ser feito hoje? Se não souber responder a essas perguntas, com certeza vai se perder em tarefas circunstanciais.

3 – Estou em Reunião – Uma pesquisa feita pela Triad Consulting, empresa dá qual sou diretor, demonstra que 1/3 das reuniões podem ser canceladas. Então: dieta de reuniões já! Quanto menos, melhor. Se tiver de fazer, seja objetivo, defina pontos de discussão e faça durar no máximo 2 horas.

4 – Redes Sociais – Você usa twitter, facebook, orkut, etc? Controle a ansiedade de ficar conectado a essas redes. Utilize eventuais intervalos no dia ou o horário de almoço para se atualizar.

5 – Falta de energia – Você está cansado, sem pique e não consegue se concentrar? A falta de “energia” rouba muitas horas do dia e faz a pessoa “surfar” em atividades circunstanciais. Tenha hobbies, procure um médico, tome um multi-vitamínico, alimente-se em horários regulares, faça sexo.*

6 – Falta de foco – Começa uma atividade e em pouco tempo salta para outra tarefas? Se a atividade for grande, quebre em pequenas atividades, feche qualquer outro software que não esteja usando, coloque o celular no silencioso e, se funcionar para você, ouça música.

7 – Navegador cheio de favoritos – Você abre seu browser para ir em um site, esbarra na lista de favoritos e começa a surfar por outros portais? Instale um novo navegador (sugiro o Safari) e não importe os seus favoritos. No novo browser, com a lista de favoritos zerada, você perde a tentação de ficar navegando à toa.

8 – Messenger, Wave, GTalk, etc – A regra é simples: está ocupado? Fique com status invisível ou offline. Está tranquilo? Fique ausente ou ocupado. Está com tempo para conversar? Fique disponível.

9 – Interrupções – Se muita gente interrompe você, pode ser porque sua comunicação não anda muito adequada. Faça uma revisão de como redige os emails, concede informações e delega atividades.

10 – Tarefas imprevistas, convites inesperados e favores – Que tal falar NÃO de forma concreta (baseado em planejamento X disponibilidade)? Se muitas tarefas imprevistas surgem na sua rotina, é possível que o nível de planejamento não esteja adequado. Repare em quais dias da semana você tem mais imprevistos e utilize isso a seu favor.

Por Christian Barbosa (Especialista em administração de tempo e produtividade, é fundador da Triad PS, empresa multinacional especializada em programas e consultoria na área de produtividade, colaboração e administração do tempo. É Autor dos livros “A Tríade do Tempo", "Você, Dona do Seu Tempo”, “Estou em Reunião” e co-autor de “Mais Tempo, Mais Dinheiro”).

HSM Online 16/11/2009

* Nota do blogueiro: Só se você for casado, e só com a sua mulher! ;)

Olá, Eu Sou o PECADO!


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

40 Dias pela Família


Prega a Palavra!

Quero pregar até que não tenha mais fôlego. Nada me incomoda mais do que a idéia de me ‘aposentar’.
Entrevista com Charles Swindol
Por J. R. Kerr

Charles Swindoll, 75 anos, está se aproximando de um momento no qual as pessoas costumam desfrutar suas vidas como aposentadas. Ele, todavia, não abre mão de continuar a pregar a palavra, e as gerações mais jovens ainda o têm como modelo. No passado, a Universidade Baylor e o jornal Leadership o consideraram um dos melhores pregadores da América. O Chanceler do Seminário Teológico de Dallas tem trabalhando no ministério pastoral há mais de quarenta anos, e já contribuiu, de diversas formas, com a publicação de mais de 70 livros. Suas pregações têm sido transmitidas por mais de 2000 rádios em todo o mundo.

Swindoll, que também é o pastor sênior da Stonebriar Community Church, em Frisco, Texas, começou a trabalhar recentemente em uma série de 27 comentários bíblicos, dos quais o primeiro foi Insights em Romanos (Zondervan). J R Kerr, um dos pastores da Park Community Church, em Chicago, falou com Swindoll e pediu que ele desse alguns conselhos a pastores mais jovens.

Tem havido uma renovação na pregação centrada no evangelho, na qual o foco está na expiação, e em se fazer de Jesus um herói. Como você responde aos críticos que dizem que uma pregação muito focada em questões históricas tira a atenção do cerne do evangelho?

Ao apresentar o evangelho às pessoas, você as está apresentando algo no qual possam acreditar. Para isso, é necessária toda uma preparação. Você não chega, entrega a mensagem de maneira fria e se despede. É necessário despertar um desejo no povo. Por exemplo, quando Jesus falou sobre o semeador, ele não apresentou nenhuma fórmula. Ao invés disso, ele se utilizou de uma realidade conhecida das pessoas – o semeador saindo a semear – e talvez tenha até apontado para um semeador que fazia seu trabalho, enquanto contava a estória. Ao expor uma mensagem às pessoas, preciso fazer de tal forma que revele a elas as necessidades dos seu dia a dia; sua história. Algumas das coisas mais importantes a se pregar podem ser vestidas com roupagens históricas. É evidente que o objetivo é o de sempre pregar a Cristo, sua graça, amor, misericórdia, compaixão, discernimento e sabedoria. Acho que soa um pouco estranho criar uma estória só para encaixá-la na mensagem do evangelho. Nem todo texto carrega a mensagem do evangelho.

Quais conselhos o senhor tem para jovens pregadores?

Gostaria que eles dissessem, ‘quero levar a sério minha tarefa de pregar a Bíblia. Não vou ficar enrolando o povo, fazendo da entrega da mensagem uma mera oportunidade de entretenimento. Quero apresentar a elas a Palavra, fazer com que tenham interesse por sua mensagem. Quero caminhar pelos livros da Bíblia, apresentando o que é importante, e fazendo disso minha grande tarefa. Quero ser conhecido, em vinte anos, como um expositor. Quero ser capaz de pegar as Escrituras e mostrar às pessoas como elas são relevantes. Quero começar a expor Romanos 1.1, e quando chegar ao final do capítulo 16, quero que as pessoas pensem, ‘como eu pude passar metade da minha vida sem conhecer essa mensagem?

Se eu, em algum momento, tivesse escrito um livro sobre pregação, ele conteria três palavras: pregue a Palavra. Livre-se de todas as coisas que lhe prendem e impedem de expor o evangelho com pureza; pregue a Palavra. 2 Timóteo 4.2 diz ‘pregue a Palavra a tempo e fora de tempo’.

Um de meus mentores, Ray Stedmen, costumava dizer, ‘nunca tire o dedo do texto, a despeito de você estar expondo-o ou aplicando-o. Faça com que os olhos das pessoas estejam fixos nele, e fale acerca de Jesus’. É simples assim.

Como o senhor pretende viver seus próximos anos?

Quero pregar até que não tenha mais fôlego. Nada me incomoda mais do que a idéia de me ‘aposentar’. Coisas estranhas acontecem quando você se descompromete. Primeiro você fica muito mais negativo; depois você começa a contar para as pessoas sobre suas últimas cirurgias. Enfim você acaba perdendo os contatos com os outros. E eu não quero perder contatos.

Traduzido por Daniel Leite
Recebido por email do meu amigo Roberto Silvado

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Oh, a Tentação!

O vídeo é de 2009, mas atualizando meus arquivos encontrei-o. Ilustra bem o dilema vivido entre a vontade de não fazer, e fazer o que dá vontade... Isto é tentação!

SÁBIOS SÃO OS QUE SABEM SER CORRIGIDOS

Na semana que passou, li esta frase profunda de Fred Smith que disse com muita propriedade: “Num tempo de líderes fracos, heróis decadentes, pais atarefados, instrutores enfurecidos, autoridades arrogantes e talentos intelectualizados, precisamos mais do que nunca de mentores. Precisamos de condutores, não de ídolos – almas cuidadosas, acessíveis, que venham nos auxiliar a abrir nosso caminho através do labirinto da vida.”

O individualismo e a arrogância estão muito presentes e atuantes em nosso caráter nessa geração pós-moderna. O sentimento de vaidade e orgulho ditam o comportamento dominante e afastam uns dos outros. Homens e mulheres ocupam cargos e funções movidos por interesses próprios e em alguns casos, excusos.

O diagnóstico há de revelar que tais atitudes e sentimentos subtraíram o senso de equipe, de cooperação, de serviço, de bem comum.

O rei Salomão escreveu, há muitos anos atrás, um provérbio que precisa ser incorporada à minha vida, e à vida de todos os que ocupamos postos de liderança em todas as instâncias: “...Corrija e ensine a pessoa sensata e ela ficará melhor e mais sábia. Ensine o justo e ele será ainda mais honesto e sincero”. (Provérbios 9:8-9)

O mundo não precisa de fenômenos. O mundo precisa de homens de caráter. Não precisamos de gênios. Carecemos de seres ensináveis. Os melhores não são os sabem tudo. A convivência vai mostrar que é melhor estar ao lado de quem está disposto a aprender. Raros são os que dão valor às experiências dos outros, e validam fato de que o outro pode ter razão.

Honestidade, sinceridade e sensatez. No contexto em que Salomão escreveu, estas qualidade abrem as portas para a sabedoria, para o aperfeiçoamento e para a excelência. Ou seja, sem tais marcas o homem revela-se tolo.

O que isso significa na prática? Todos nós nos tornamos sábios, e nos aperfeiçoamos quando reconhecemos que precisamos e podemos melhorar, quando aceitamos a correção e quando alinhamos nosso entendimento ao processo estabelecido no corpo do qual fazemos parte como membros.

Parece-nos mais fácil caminhar sozinho, enchermo-nos de razão, suprirmo-nos a nós mesmos, acharmos que somos suficientes e sabedores de tudo sobre todos. É difícil lidar com quem sempre tem razão.

Rebelamo-nos contra a organização, contra a metodologia, e contra a direção que nos é dada. A consequência é que perdemos nos relacionamentos. Estagnamos. Afastamo-nos. Terminamos sozinhos. 

Sabedoria é viver disposto a aprender. É ouvir, corrigir, contribuir, relacionar-se.

Sabedoria é algo que se adquire quando se está disposto a perder.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Por que?

Acabo de ler no Portal G1:
"O ator Caio Castro teve a carteira de habilitação apreendida durante uma blitz da Lei Seca na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, durante o fim de semana. Segundo a assessoria de imprensa do Governo do Rio, o ator foi parado na madrugada de domingo (28) na Avenida Abelardo Bueno, próximo à Arena da Barra, logo após assistir a um evento de luta."

- Por que quem poderia servir de exemplo para a juventude e adolescentes desta geração, vive dando mole pro acaso? (Que nesse caso não lhe protegeu quando vc andou distraído, Caio)
- Por que a gente se esquece tão rápido do que cantou Cazuza: "os meus heróis morreram de overdose..."
- Por que a Globo nunca fala o nome correto da tal Arena, que é HSBC Arena? E a tal "Arena da Barra" fica ao lado, se não dentro, do Autódromo de Jacarepaguá (?)...
- Por que o tal evento de luta não foi referido corretamente como tendo sido o UFC Rio?

Ah, a inveja! Ah, o vil metal! Ah, a hipocrisia...

Pronto, falei!

domingo, 14 de agosto de 2011

Feliz Dia dos Pais, Papai!

Este pequeno vídeo foi pedido pela Igreja Batista do Jardim Atuba, São José dos Pinhais, Grande Curitiba, para ser projetado no culto da manhã deste domingo no momento de homenagem aos pais daquela igreja.

Decidi compartilhar aqui, pois é minha homenagem e gratidão a Deus pela vida do homem que tem me marcado desde que nasci - meu pai, Pr. João Reinaldo Purin.

sábado, 13 de agosto de 2011

Pai, qual é o impacto que você está causando na vida de seus filhos?

PAI - Como Tornar seu Amor Visível

Seus filhos podem afirmar que são amados por você? Sua família pode testemunhar que você é um pai amável e respeitável? Para ajudá-lo, pai, quero sugerir algumas atitudes que podem dar qualidade ao seu relacionamento com seus filhos.

1. Tornamos nosso amor visível quando não nos poupamos de tocar com carinho nossos filhos. Isso é o que Jesus fez (Mc 10:16), quando ele abençoou as crianças. Ele sempre tocou aqueles a quem Ele ministrou. Ele poderia tê-los curado com uma palavra. Em oito passagens, Marcos mostra Jesus tocando aqueles a quem Ele serviu. É isso! O toque carinhoso é a chave para comunicar calor e afirmação. É ainda essencial para a saúde física. Seja generoso com seus abraços.

2. Tornamos nosso amor visível quando pronunciamos palavras que abençoam. Paulo, como pai da fé de Timóteo, nos ensina a usar palavras que encorajam e incentivam. Ele não o menospreza por suas fraquezas e lágrimas. Devemos sempre lembrar que abraços não são suficientes. Diga aos seus filhos como você se sente sobre eles! Nosso silêncio deixa lacunas de dúvidas e insegurança na personalidade deles. Nosso silêncio deixa lacunas na personalidade deles. Tanto quanto ter um espírito crítico, o silêncio é ruim. Nós podemos fazer melhor do que apenas esperar que eles concluam que os amamos e os admiramos silenciosamente. Eles precisam ouvir isso! Faça um esforço para surpreende-los com um elogio, com uma palavra de encorajamento.

3. Tornamos nosso amor visível quando declaramos o valor que nossos filhos têm. Novamente, como Paulo declarou a Timóteo, destaquemos as qualidades e virtudes que eles têm. Uma boa maneira de fazer isso é referir-se a eles como algo de muito valor. Por exemplo, que tal chamar sua filha de preciosa, princesa, ou joia e seu filho de amigão, de campeão, de fera. Faça-o acreditar que ele tem valor. Saiba que isso fará toda a diferença quando ele tiver de enfrentar o mundo real.

4. Tornamos nosso amor visível quando preparamos nossos filhos para um futuro que valha a pena. Paulo disse a Timóteo sobre uma “coroa” que estava esperando por ele enquanto corria a “corrida”, e que o Senhor iria recompensá-lo. Ajude seus filhos a desenvolverem seus dons e potencialidades para a glória de Deus. Prepare-os para a eternidade. Use e viva a Bíblia para inspirá-los à total dependência em Deus.

5. Para terminar, ao invés de dar a eles um mundo melhor, dê filhos melhores para o mundo. Li isso certa vez e concordei plenamente. Enquanto a mudança não acontecer em casa, nada mudará no mundo. E a responsabilidade começa em nós pais.

Não só um dia, mas uma Vida Feliz para nós, pais!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Rodolfo (Ex-Raimundos) no Altas Horas

Belíssimo testemunho do Rodolfo. Eu já o recebi e o hospedei em minha casa. É um cara sério e eu posso dizer que Deus o tem usado. Vale a pena ver o vídeo e enviar para os seus contatos.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

ÉTICA - Qual é o preço do sucesso?

Este vídeo ilustra com perfeição o que acontece quando perdemos os parâmetros da decência, da moral, e do respeito pelo semelhante. A ganância pelo sucesso nos seduz ao ponto de transgredirmos todos os limites que nos sustentam.

Quanto vale uma fotografia? Quanto vale o seu sucesso?

quinta-feira, 7 de julho de 2011

INTEGRIDADE SEXUAL

Nos próximos dias 14 a 17, nossa juventude estará realizando mais um congresso. Neste ano, a ênfase que eles mesmos escolheram é abordar um tema complexo, polêmico e controvertido – SEXUALIDADE.

Tratado por muito tempo como tabu ou profano, falar sobre sexo de maneira franca e bíblica, acima de tudo, sempre foi rarefeito. Pouco se fala, pouco se orienta, pouco se debate, pouco se sabe. Resultado: o mundo dita os valores e nossos filhos ficam à mercê do que outros falam e nada conhecem da razão bíblica e dos preceitos de Deus para o sexo. Ou, quando sabem, transgridem por não terem convicções firmes e claras para um posicionamento cristão na contramão da sociedade.

Encontrei estas orientações em meus arquivos. Desconheço o autor. Porém, concordo com suas considerações e posicionamentos sobre o assunto. Desejo, desta forma, dar o primeiro pontapé nos debates que acontecerão no congresso e contribuir para que o resultado seja a colheita de vidas comprometidas com os valores do Reino dos Céus.

1. SEJA REALISTA - Reconheça que a tentação sexual é inevitável em nossa cultura obcecada por sexo. Imagens eróticas em cartazes, filmes, programas de televisão e milhares de outros estimulantes estão por toda parte. Ser cristão não o isenta da tentação - o mais piedoso de todos os homens pode se tornar uma presa fácil. Assim, o primeiro passo para manter a integridade sexual é ser realista. Admita para si mesmo que a tentação sexual é um problema com o qual precisa lidar. Lembre-se da admoestação de João: “se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos.” 1 João 1:18

2. SEJA FIRME - Você deve saber que a imoralidade sexual destrói a todos que se envolvem nesta prática. O que, talvez, você não saiba, é que cada fantasia sexual, cada conversa imoral , cada “ segundo olhar “ é uma semente para a AIDS, para um adultério, para um coração partido, para uma vida destroçada. Seja FIRME – se estiver se divertindo com este tipo de prazer, você está à beira de um precipício. Fuja, enquanto há tempo! “A cobiça, depois de haver concebido, dá luz ao pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.” Tiago 1:15

3. VIGIE - Você teria um plano de fuga se soubesse da aproximação de um tornado! Acredite: a tentação sexual é real e pode destruí-lo! Tenha um plano de fuga para quando ela vier. Decida com antecedência o que fazer quando for tentado: como desvencilhar-se, para quem recorrer, enfim, como escapar. Até mesmo Paulo admitiu: “Mas esmurro meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado.” 1 Coríntios 9:27

4. CONECTE-SE COM PESSOAS - O pecado sexual avança quando permanece oculto. Se você estiver preso a qualquer tipo de vício sexual, saiba que manter segredo é uma prisão. Mesmo que sinta vergonha em admitir o seu problema para outra pessoa, a realidade é que você não pode superar isso sozinho. Se pudesse, com certeza, já estaria livre! Veja o que Tiago diz: “Confessai vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros para serdes curados.” Encontre um amigo confiável e que tema ao Senhor. Faça desse amigo um parceiro em seu processo de cura; jamais deixe de vigiar e sempre assuma a responsabilidade pelos seus atos.

5. SEJA RADICAL - Deveria haver um décimo primeiro mandamento:” Não brinque consigo mesmo.” Se for firme no que diz respeito à integridade sexual, você vai se distanciar, não apenas de pecados sexuais (fantasias, pornografia, relações extraconjugais, prostituição), mas de qualquer pessoa ou coisa que possa seduzi-lo. Às vezes, algumas atividades (filmes, músicas ou lugares) podem ser inofensivas para certas pessoas, mas não para você! Seja radical em seu estilo de vida: abandone TUDO que possa levá-lo ao pecado sexual! “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas não me deixarei dominar por nenhuma delas.” 1 Cor 6:12

6. PEÇA AJUDA - Os pecados sexuais são, geralmente, evidências de carências emocionais mais profundas. Arrepender-se do pecado em si é um primeiro passo necessário, mas é preciso reconhecer os conflitos e necessidades que o levaram a cair. Isso pode exigir o acompanhamento de algum profissional. Não hesite em procurar ajuda. O Rei Davi, que também pecou nesta área, encontrou refúgio na sábia orientação de Samuel (I Sam 19:18). Invista o que for necessário para manter sua pureza sexual.

7. NÃO SE DESESPERE - O problema da tentação sexual sempre existiu e vai existir até a volta de Cristo. Portanto, acostume-se com a ideia de que você vai precisar controlar seus impulsos sexuais por toda a vida, lembrando-se sempre de que sua integridade sexual é apenas uma parte em todo o processo de santificação. “Ainda não atingi a perfeição; não sou tudo que deveria ser”, Paulo disse ao Filipenses (Fil 3:12,13) Assim, busque a santificação a cada dia, não a perfeição em si.

8. BUSQUE O AMOR - “Eu fui à procura de amor em lugares errados”, diz uma velha canção. O pecado sexual é um substituto “barato” (embora intenso) para o amor. Você pode até se arrepender do erro, mas a necessidade vai continuar ali. Portanto, deixe o amor entrar em sua vida através de amizades, da família, do seu cônjuge. Alguém que ame verdadeiramente e saiba o que é ser amado estará menos propenso a procurar por amor em lugares errados. “Por que gastar dinheiro naquilo que não é pão, ou o seu trabalho naquilo que não pode satisfazer?” Isaías perguntou (Is.55:2). Aprenda a ser íntimo e autêntico. É uma das melhores maneiras de proteger seu coração e sua integridade.

9. SEJA PERSEVERANTE - O que vai prevalecer até o fim é aquele que aprender a se levantar depois da queda. Se sua luta parece invencível, lembre-se: quando você assume um compromisso com a sua integridade, você se compromete com um alvo, não com a perfeição. Haverá tropeços no caminho, o que não é justificativa para o pecado, e sim uma visão realista da vida neste mundo decaído. O que determina o sucesso ou fracasso de um homem imperfeito é a sua vontade de levantar-se, confessar sua culpa e continuar no caminho correto. Lembre-se das palavras de Paulo: “Esquecendo as coisas que para trás ficam, prossigo para o alvo da soberana vocação.” (Filipenses 3:13)

10. AME A VIDA - Qual é sua paixão? Qual é o seu chamado? Quais são seus objetivos? Você tem algum tipo de diversão? A pessoa que não tem prazer em viver, que não busca se conhecer, que não sabe equilibrar lazer e trabalho, é alguém com grandes chances de se expor a pecados sexuais. Para manter-se puro, é preciso saber quem você é, onde estão suas prioridades, onde você está e aonde quer chegar.

É isso!

CONGRESSO DA JUVENTUDE DA IBMÉIER 2011

terça-feira, 5 de julho de 2011

Até os Confins da Terra...

Imagens de 1976 que mostram o primeiro contato de um homem branco com uma tribo da Papúa Nova Guiné. A tribo chama-se Toulambi e as reações ao ver um homem branco são emocionantes. Coloquem-se na situação deles, pensando como seria ver algo totalmente diferente, mas igualzinho a você, pela primeira vez na vida. Eles passam a mão, sentem os músculos dele pra acreditar que é um homem igual a eles por baixo daquela pele branca. Depois a reação mais engraçada é ao serem apresentados a um espelho. (Fonte: Flávio Lamenza)

Até que todo joelho se dobre e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor para a glória de Deus Pai.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O FRUTO DO ESPÍRITO É O AMOR

“Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.” (Gl 5.25)

Este é um dos princípios mais importantes, se não o mais importante, para a vida em toda a sua abrangência – o controle do Espírito Santo. Todas as virtudes e as boas ações não são resultado de terapias, mas sim do controle que o Espírito Santo tem sobre os nossos pensamentos, intenções e reações.

A Bíblia ensina que duas naturezas habitam em nós – a velha e a nova natureza. Enquanto você viver, a sua velha natureza tentará de todas as formas dominar as suas ações (Gl 5.17). O problema é que a velha natureza é dirigida pela carne, e ela tem um único objetivo: destruir a obra de Deus na sua vida.

Em sessões de aconselhamento familiar tenho observado o quanto Cristo tem estado longe do controle das nossas famílias. É a carne que domina os relacionamentos. É ela quem tem se assenhorado do nosso pensamento e ações. Infelizmente, as obras da carne apresentadas nos versos 19-21 estão presentes em muitos momentos de crise que vivemos.

Só há uma escolha, e é você quem tem de fazê-la: fazer de Cristo o Senhor da sua vida! Você até pode ser crente, mas se Cristo ainda não controlar você, ainda falta-lhe tudo (Rm 8.8).

Neighbour afirma que o fruto do Espírito não é o que você faz, mas o que você é! A descrição da ação do Espírito na vida do cristão refere-se ao seu caráter e isso alcança a sua família.

Burckhardt afirma que uma vida dirigida pelo Espírito mostra AMOR. O fruto, portanto, em toda a sua manifestação é o amor. Desta forma, a alegria é o amor que jubila, a paz é o amor que restaura, a longanimidade é o amor que sustém, a benignidade é o amor que se compadece, por bondade manifesta-se o amor que doa, a fidelidade revela o amor confiável, a mansidão é expressa pelo amor humilde, e o domínio próprio é amor disposto a renunciar.

A vitória é possível através de uma entrega completa de tudo o que você é ao controle de Cristo.

Faça hoje a sua escolha. Viva pelo Espírito de Deus!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Dimenstein, Azevedo e os devaneios de um verdadeiro preconceituoso

Texto do jornalista Ronaldo Azevedo (Revista VEJA)

Gilberto Dimenstein, para manter a tradição — a seu modo, é um conservador, com sua mania de jamais surpreender — resolveu dar mais uma contribuição notável ao equívoco ao escrever hoje na Folha Online sobre a Marcha para Jesus e sobre a parada gay. Segue seu texto em vermelho. Comento em azul.

São Paulo é mais gay ou evangélica?
Sem qualquer investimento voluntário na polissemia, é um texto tolo de cabo a rabo; do título à última linha. São Paulo nem é “mais gay” nem é “mais evangélica”. Fizesse tal consideração sentido, a cidade é “mais heterossexual” e “mais católica”, porque são essas as maiorias, embora não-militantes. Ora, se a diversidade é um dos aspectos positivos da cidade, como sustenta o articulista, é irrelevante saber se a cidade é “mais isso” ou “mais aquilo”, até porque não se trata de categorias excludentes. Se número servisse para determinar o “ser” da cidade — e Dimenstein recorre ao verbo “ser” —, IBGE e Datafolha mostram que os cristãos, no Brasil, ultrapassam os 90%.

Como considero a diversidade o ponto mais interessante da cidade de São Paulo, gosto da idéia de termos, tão próximas, as paradas gay e evangélica tomando as ruas pacificamente. Tão próximas no tempo e no espaço, elas têm diferenças brutais.
Nessas poucas linhas, o articulista quer afastar a suspeita de que seja preconceituoso. Está, vamos dizer assim, preparando o bote. Vamos ver.

Os gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados. Já a parada evangélica não respeita os direitos dos gays (o que, vamos reconhecer, é um direito deles). Ou seja, quer uma sociedade com menos direitos e menos diversidade.
Está tudo errado! Pra começo de conversa, que história é essa de que “é um direito” dos evangélicos “não respeitar” os direitos dos gays? Isso é uma boçalidade! Nenhum evangélico reivindica o “direito” de “desrespeitar direitos” alheios. A frase é marota porque embute uma acusação, como se evangélicos reivindicassem o “direito” de desrespeitar os outros.
Agora vamos ver quem quer tirar o direito de quem. O tal PLC 122, por exemplo, pretende retirar dos evangélicos — ou, mais amplamente, dos cristãos — o direito de expressar o que suas respectivas denominações religiosas pensam sobre a prática homossexual. Vale dizer: são os militantes gays (e não todos os gays), no que concerne aos cristãos, que “reivindicam uma sociedade com menos direitos e menos diversidade”. Quer dizer que a a era da afirmação das identidades proibiria cristãos, ou evangélicos propriamente, de expressar a sua? Mas Dimenstein ainda não nos ofereceu o seu pior. Vem agora.

Os gays usam a alegria para falar e se manifestar. A parada evangélica tem um ranço um tanto raivoso, já que, em meio à sua pregação, faz ataques a diversos segmentos da sociedade. Nesse ano, um do seus focos foi o STF.
Milhões de evangélicos se reuniram ontem na praça nas ruas e praças, e não se viu um só incidente. A manifestação me pareceu bastante alegre, porém decorosa. Para Dimenstein, no entanto, a “alegria”, nessa falsa polarização que ele criou entre gays e evangélicos, é monopólio dos primeiros. Os segundos seriam os monopolistas do “ranço um tanto raivoso”. Ele pretende evidenciar o que diz por meio da locução conjuntiva causal “já que”, tropeçando no estilo e no fato. A marcha evangélica, diz, “faz ataques a diversos segmentos da sociedade” — neste ano, “o STF”. O democrata Gilberto Dimenstein acredita que protestar contra uma decisão da Justiça é prova de ranço e intolerância, entenderam? Os verdadeiros democratas sempre se contentam com a ordem legal como ela é. Sendo assim, por que os gays estariam, então, empenhados em mudá-la? No fim das contas, para o articulista, os gays são naturalmente progressistas, e tudo o que fizerem, pois, resulta em avanço; e os evangélicos são naturalmente reacionários, e tudo o que fizerem, pois, resulta em atraso. Que nome isso tem? PRECONCEITO!

Por trás da parada gay, não há esquemas políticos nem partidários.
Bem, chego a duvidar que Gilberto Dimenstein estivesse sóbrio quando escreveu essa coluna. Não há?

Na parada evangélica há uma relação que mistura religião com eleições, basta ver o número de políticos no desfile em posição de liderança.
Em qualquer país do mundo democrático, questões religiosas e morais se misturam ao debate eleitoral, e isso é parte do processo. Políticos também desfilam nas paradas gays, como todo mundo sabe.

Isso para não falar de muitos personagens que, se não têm contas a acertar com Deus, certamente têm com a Justiça dos mortais, acusados de fraudes financeiras.
Todos sabem que o PT é o grande incentivador dos movimentos gays. Como é notório, trata-se de um partido acima de qualquer suspeita, jamais envolvido em falcatruas, que pauta a sua atuação pelo mais rigoroso respeito às leis, aos bons costumes e à verdade.

Nada contra –muito pelo contrário– o direito dos evangélicos terem seu direito de se manifestarem. Mas prefiro a alegria dos gays que querem que todos sejam alegres. Inclusive os evangélicos.
Gilberto Dimenstein precisa estudar o emprego do infinitivo flexionado. A inculta e bela virou uma sepultura destroçada no trecho acima. Mas é pior o que ele diz do que a forma como diz. Que história é essa de “nada contra”? Sim, ele escreve um texto contra o direito de manifestação dos evangélicos. O fato de ele negar que o faça não muda a natureza do seu texto. Ora, vejam como os militantes gays são bonzinhos — querem que todos sejam alegres —, e os evangélicos são maus: pretendem tolher a livre manifestação do outro. SÓ QUE HÁ UMA DIFERENÇA QUE A ESTUPIDEZ DO TEXTO DE DIMENSTEIN NÃO CONSIDERA: SÃO OS MILITANTES GAYS QUE QUEREM MANDAR OS EVANGÉLICOS PARA A CADEIA, NÃO O CONTRÁRIO. São os movimentos gays que querem rasgar o Artigo 5º da Constituição, não os evangélicos.

Civilidade é a diversidade. São Paulo, portanto, é mais gay do que evangélica.
Hein??? A conclusão, obviamente, não faz o menor sentido nem decorre da argumentação. Aquele “portanto” dá a entender que o autor demonstrou uma tese. Bem, por que a conclusão de um texto sem sentido faria sentido? Termina tão burro e falacioso como começou.

Por Reinaldo Azevedo

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Ah, a Língua Portuguesa!

Há um poema do negro-polaco curitibano, Paulo Leminski - O ASSASSINO ERA O ESCRIBA, que retrata bem o tipo de aula desinteressante de muitas escolas atuais.

O assassino era o escriba
Meu professor de análise sintática era o tipo do sujeito inexistente.
Um pleonasmo, o principal predicado de sua vida,
regular como um paradigma da 1ª conjunção.
Entre uma oração subordinada e um adjunto adverbial,
ele não tinha dúvidas: sempre achava um jeito
assindético de nos torturar com um aposto.
Casou com uma regência.
Foi infeliz.
Era possessivo como um pronome.
E ela era bitransitiva.
Tentou ir para os EUA.
Não deu.
Acharam um artigo indefinido na sua bagagem.
A interjeição do bigode declinava partículas expletivas,
conectivos e agentes da passiva o tempo todo.
Um dia, matei-o com um objeto direto na cabeça.

Paulo Leminski

O metalinguistico poema é uma representação metonímica das aulas de algumas escolas. Não dar vez à alienação [...] torna rico o ensino. Talvez assim muitos alunos deixem de querer esganar o professor como primeiro objeto direto que tiverem à mão.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Manifestação da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)

A Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) está estabelecida num país onde há liberdade de viver, se expressar e agir conforme a decisão ou vontade de cada um. Assim, a opção sexual faz parte dessa liberdade. Por outro lado, a IELB também entende que a liberdade de discordar e não aceitar em seu meio uma união homossexual, por esta ferir os princípios da Bíblia Sagrada, faz parte da sua liberdade e não lhe pode ser cerceada, pois fere a Constituição Nacional. A Constituição Brasileira, no seu Artigo V, incisos IV, VI, VIII e IX, diz:


IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;


VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;


VIII – ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;


IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;


Assim, precisamos diferenciar homossexualismo de homofobia. A Igreja Luterana não concorda com a conduta homossexual, mas não discrimina o ser humano homossexual.


Por isso declaramos:


1 – A IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA DO BRASIL crê e confessa que a sexualidade é um dom de Deus, destinado por Deus para ser vivido entre um homem e uma mulher dentro do casamento.


2 - A IELB crê e confessa que o homossexual é amado por Deus como são amadas por Deus todas as suas criaturas.


3 - Em amando todas as pessoas e também o homossexual, Deus não anula o propósito da sua criação.


4 - Por esta razão, a igreja, em acordo com a Sagrada Escritura, denuncia na homossexualidade um desvio do propósito criador de Deus, fruto da corrupção humana que degrada a pessoa e transgride a vontade de Deus expressa na Bíblia. “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher: é abominação. Nem te deitarás com animal, para te contaminares com ele, nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele: é confusão. Portanto guardareis a obrigação que tendes para comigo, não praticando nenhum dos costumes abomináveis que praticaram antes de vós, e não vos contamineis com eles: Eu sou o Senhor vosso Deus” (Levítico 18.22,23,30); “Por isso Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seus próprios corações, para desonrarem os seus corpos entre si; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro” Romanos 1.24,27); “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus” (1 Coríntios 6.9-10).


5 - Porque a homossexualidade transgride a vontade de Deus e porque Deus enviou a igreja a levar Cristo Para Todos, a igreja se compromete a encaminhar o homossexual dentro do que preceitua o amor cristão e na sua competência de igreja, visando a que as pessoas vivam vida feliz e agradável a Deus; Mateus 19.5: “... Por esta causa deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.”


6 - A IELB, repudiando qualquer forma de discriminação, deve estar ao lado também das pessoas de comportamento homossexual, para lhes dar o apoio necessário e possam vir a ter a força para viver vida agradável a Deus.


7 - Diante disto repudiamos a idéia de se conceder à união entre homossexuais o caráter de matrimônio legítimo porque contraria a vontade expressa de Deus e dificulta, se não impossibilita, a oportunidade de tais pessoas revisarem suas opções e comportamento.


8 - Repudiamos também, por conseqüência, a hipótese de ser dado a um casal homossexual a adoção e guarda de crianças como filhos porque entre outros prejuízos de formação, formará na criança uma visão distorcida da sua própria natureza.


Fiéis ao nosso lema CRISTO PARA TODOS ensinamos que a igreja renova também o seu compromisso de receber pessoas homossexuais no amor de Cristo visando que a fé em Jesus as transforme para a nova vida da qual Deus se agrada.


Em nome da Igreja Evangélica Luterana do Brasil

PODE SER LEGAL, MAS NÃO É MORAL!

Brasil: Justiça Legaliza Imoralidade

Dom Robinson Cavalcanti - Bispo Anglicano

Em um país onde o Poder Legislativo é o que menos legisla, mas sim o Poder Executivo através de Medidas Provisórias ou o Poder Judiciário através das suas “interpretações” (este último sem ter sido eleito pelo povo, nem passível de perante ele responder), o Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade dos seus membros, resolveu estender aos homossexuais o instituto das “uniões estáveis”, sem qualquer embasamento nos dispositivos expressos da Constituição Federal ou do Código Civil, mas tendo por base argumentos filosóficos emanados da ideologia secularista que está a destruir os fundamentos da civilização ocidental plasmada pelo Cristianismo.

Mais uma vez é o aparelho do Estado indo de encontro à Nação, sua História, sua Cultura e seus Valores. A imoralidade do homossexualismo – nítido desvio de conduta e enfermidade emocional e espiritual – sempre rejeitada pela Nação, não por preconceitos, mas por conceitos que geram preceitos, recebeu o manto da legalidade, com o objetivo de reforçar a sua legitimidade. A imoralidade foi legalizada. O pecado foi legalizado. A minoria organizada do lobby GLSTB comemora seu momento de “vitória” contra a família. O Brasil se junta aos 10% dos países vanguardistas onde se aprovou tal instituto ou o do próprio “casamento”. O Brasil está de luto. A dignidade da pessoa humana e as leis vigentes isonômicas já eram mais do que suficientes para o exercício da cidadania, o bom funcionamento do Estado Democrático de Direito e a busca do Bem-Comum. O próximo passo será a criminalização dos heterossexuais que não admitem a normalidade do homossexualismo, o atentado à liberdade de expressão e da liberdade de religião, com a PLC 122, ora no Senado da República.

A mídia já vinha, há muito tempo, manipulando a opinião pública, em uma autêntica lavagem cerebral, para quebrar as resistências, e “reeducar” a nação. Os Ministérios Federais, como o da Educação e dos Direitos Humanos também estão a gastar o dinheiro do contribuinte para promover a pederastia.

Os argumentos levantados pelos doutos ministros no dia de hoje devem ser levados às suas consequências lógicas, legalizando as outras “minorias discriminadas”, como os pedófilos e outros tantos ófilos.

Os cidadãos brasileiros de convicções morais baseadas nos valores da fé revelada e nos valores sempre afirmados por nossa Pátria continuarão, com convicção e coragem, a expressar a sua mais veemente condenação a esse momento lamentável, que deslustrou a mais alta corte de justiça do País. Continuarão a pregar a mensagem de perdão de Deus a todos os pecadores e a todos os pecados (e não a promover marchas de orgulho do pecado), bem como a mensagem de arrependimento e de mudança de vida, de libertação das opressões e dos desvios, que ferem a santidade de Deus e o seu projeto para a humanidade. Continuarão a apoiar os que hoje optam pelo comportamento homoerótico e que desejam dele ser curados, bem como aos heróicos terapeutas que se arriscam diante da intolerância das novas manifestações de totalitarismo. Bem nos ensina o apóstolo Pedro que “antes importa obedecer a Deus do que aos homens”, e seguindo o exemplo de Martin Luther King Jr, nos cabe a resistência pacífica (não passiva) e não violenta, a desobediência civil. Nesse momento que vozes proféticas se levantem, pois o respeito ao Poder Judiciário não passa por sua infalibilidade nem pela impossibilidade de dele se discordar e apontar para os seus equívocos, que prejudicam a Nação, e que um dia serão julgados tanto por Deus, quanto pela História.

Ache o aparelho do Estado o que achar, decida o que decidir, nossas Igrejas continuarão a afirmar que Deus criou uma humanidade de machos e fêmeas, que ordenou que o homem se unisse à mulher, e que condena vigorosamente a sodomia.

As consequências do que hoje decidiu na esfera do Estado não atingem a vida interna da Igreja e do Povo de Deus. Continuaremos a afirmar o que a herança judaico-cristã-islâmica tem ensinado por cinco mil anos. Continuaremos a respeitar a memória dos nossos antepassados e a honrar os valores dos nossos costumes e das nossas crenças.

Oremos pelas autoridades da República, para que cessem de fazer o mal e promovam o bem!

Mogi das Cruzes (SP)

05 de maio de 2011
Anno Domini.

Robinson Cavalcanti

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Últimas palavras do pr. David Wilkerson

Esta foi a última postagem do pr. Wilkerson em seu blog. Está publicada com a data da sua morte - 27/04/2011.

Eu a traduzi rápida e livremente para que você pudesse refletir sobre essas palavras na perspectiva de alguém que encarou a morte com esperança. Sua última frase é impactante!

Um santo de Deus que fará falta aqui na terra - Salmo 116.15.

=============

Quando Tudo Falhar
David Wilkerson | 27 abril de 2011

Crer quando todos os recursos falham agrada profundamente a Deus. Jesus disse a Tomé: "Você acreditou porque você viu, mais bem-aventurados serão aqueles que acreditarem sem terem visto" (João 20:29).

Bem-aventurados são aqueles que crêem quando não há nenhuma evidência de uma resposta à oração, que mantém a esperança quando todos os recursos falharam.

Alguém que tenha chegado ao ponto do desespero - o fim de toda a esperança – o fim de todos os recursos. Quando a pessoa amada está enfrentando a morte, e os médicos não dão nenhuma esperança. A morte parece inevitável. A esperança se foi. O milagre pedido que não está acontecendo.

É quando as hostes de Satanás vêm para atacar a sua mente com o medo, a raiva, as dúvidas esmagadoras: “Onde está o seu Deus agora? Você orou tanto que não tem mais lágrimas. Você jejuou. Você se firmou na promessa. Você confiou.”

Pensamentos blasfemos serão injetados em sua mente: "A oração falhou. A Fé falhou. Não desista de Deus, simplesmente não confie mais nele. Não vale a pena!"

Questionamentos sobre a existência de Deus serão injetados em sua mente. Estas foram as ferramentas de Satanás por séculos. Alguns dos mais piedosos homens e mulheres que já viveram estiveram sob tais ataques demoníacos.

Para quem anda pelo vale da sombra da morte, ouça esta palavra: o choro vai durar por algumas noites, trevas terríveis – e, em meio à escuridão, logo você ouvirá o sussurro do Pai: "Eu estou com você. Eu não posso te dizer o porquê agora, mas um dia tudo vai fazer sentido. Você vai ver que tudo era parte do meu plano. Não foi por acaso. Não foi falha sua. Segure firme. Deixe-me abraçar você na hora da dor."

Amado, Deus nunca falhou, mas age em bondade e amor. Quando falham todos os meios, o seu amor prevalece. Segure firme a sua fé. Permaneça firme na Sua Palavra. Não há outra esperança neste mundo.

Pr. David Wilkerson morre em acidente de carro no Texas

A CBN News acaba de noticiar (26/04/11 – 23:00hs no Brasil) que o Rev. David Wilkerson, morreu nesta quarta-feira em um acidente de carro, de acordo com uma fonte próxima à CBN News.

Wilkerson tinha 79 anos. A sua esposa Gwen também estava envolvida no acidente e foi levada para o hospital. Deixou 4 filhos e 11 netos.

Wilkerson foi o pastor fundador da Igreja de Times Square em Nova York (com mais de 8.000 membros) e presidente do “Desafio Jovem”, entidade destinada a recuperar drogados. Escritor de vários livros dentre eles A Cruz e o Punhal.

O Rev. David estava na estrada I 175 no Texas quando tentou uma ultrapassagem e teve seu carro atingido por uma carreta na direção oposta.

Seus sermões denunciando o mundanismo e as falsas manifestações espirituais na igreja são famosos. Uma voz profética foi silenciada. Que o Senhor console a família a aos muitos que sentirão falta de suas palavras inspiradoras.


Este sermão é sucesso no YOU TUBE, onde o pastor desafia a veracidade ou a edificação de certos moveres e fenômenos nas igrejas de hoje:


Fonte: Genizah

Leia as Atualizações no seu Reader

Pra Cumprir Teu Chamado

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails